Queiroga diz que Ministério da Saúde abriu sindicância para apurar denúncias de propina

Ministro da Saúde afirmou que a pasta está investigando as acusações e que diretor de Logística foi exonerado ‘de maneira cautelar’

  • Por Jovem Pan
  • 30/06/2021 14h18 - Atualizado em 30/06/2021 15h17
CLÁUDIO MARQUES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMinistro da Saúde, Marcelo Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta quarta-feira, 30, que a pasta abriu uma sindicância para apurar as denúncias de propina na compra de vacinas contra a Covid-19. Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, o então diretor de Logística da Saúde, Roberto Ferreira Dias, teria pedido propina de US$1 por dose da vacina AstraZeneca ao representante da Davati Medical Supply, Luiz Paulo Dominguetti Pereira. O servidor foi exonerado do cargo após as acusações. “Está sendo apurado. Nós instauramos uma sindicância que vai trazer conclusões. Mas enquanto isso, de maneira cautelar, nós afastamos”, afirmou Queiroga. Questionado se já tinha conhecimento de outros servidores que poderiam estar envolvidos no suposto esquema, o ministro negou. “Não se sabe de possíveis servidores. O que nós fizemos foi o que cabia à oportunidade”, declarou. Nesta quinta-feira, a CPI da Covid-19 aprovou a convocação de Roberto Ferreira Dias. O depoimento está marcado para quinta-feira, 8.