Ricardo Barros volta a pedir ao STF para depor à CPI da Covid-19 nesta semana

Deputado insiste para ser ouvido pela Comissão e diz que senadores não o dão direito a defesa; solicitação foi encaminhada para o ministro Ricardo Lewandowski

  • Por Jovem Pan
  • 12/07/2021 16h47 - Atualizado em 12/07/2021 17h44
ANTÔNIO ARAÚJO/AGÊNCIA TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDORicardo Barros voltou a insistir para prestar depoimento

O deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo na Câmara, encaminhou mais um pedido ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, para ser ouvido na CPI da Covid-19 nesta semana, antes do início do recesso parlamentar. “Meu nome já foi citado 96 vezes. Cancelaram minha ida no dia 8 sem justificativa. Não estou tendo direito à defesa. Desde o início me coloquei à disposição”, escreveu o parlamentar nas redes sociais. O depoimento de Barros está marcado para o dia 20 de julho. No entanto, o recesso parlamentar começa dia 17, o que pode adiar a oitiva para agosto. O líder do governo já havia encaminhado o pedido ao STF no dia 8 e continuou insistindo para ser ouvido sobre supostas irregularidades na compra da vacina Covaxin. Barros alega que os senadores da Comissão cometem abuso de poder e não o dão direito à defesa. “Ao que tudo indica, anunciar extraoficialmente a data de oitiva para o recesso parlamentar é apenas um subterfúgio para tentar convencer Vossa Excelência a não conceder a liminar pleiteada pelo Impetrante, ao passo que já se sabe, de antemão, que não poderá ser realizada na data aventada”, diz o documento enviado a Lewandowski pela defesa do deputado.