Roberto Jefferson é condenado a indenizar Alexandre de Moraes em R$ 50 mil

Em entrevista à Jovem Pan, o presidente do PTB associou o ministro ao PCC; Justiça de São Paulo negou recurso do político

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2021 20h18 - Atualizado em 01/09/2021 22h39
Mário Agra/PTB NacionalRoberto Jefferson associou Moraes ao PCC

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) negou recurso do ex-deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, e determinou que ele pague indenização de R$ 50 mil ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). Em entrevista ao programa “Os Pingos Nos Is”, da Jovem Pan, e à CNN Brasil, Jefferson afirmou que o magistrado foi advogado do PCC. Nesta terça-feira, 31, a 1ª Câmara de Direito Privado do TJSP negou o recurso do político e manteve a decisão de primeira instância que o condenou a pagar a indenização. “Insiste o réu em dizer, em diversos momentos de sua defesa, que tirou suas deduções da Internet, apontando que o autor somente agora, nesta ação (como se este tivesse alguma culpa por isso) veio a negar ter advogado para o PCC. O que se revela por demais leviano de sua parte, pois a internet é uma terra de ninguém, não se podendo concluir que os fatos que ali se plantam sejam verdadeiros”, diz a decisão do desembargador Rui Cascaldi, relator do caso. “O réu ao dizer que o autor advogou para o PCC, deixou claro seu intuito de atribuir a este o ‘rótulo’ de criminoso, defensor de bandidos, de forma a retirar-lhe o respeito como ministro da Suprema Corte. E não há nenhuma prova de que tenha advogado para o PCC”, completa. Roberto Jefferson está preso no Rio de Janeiro desde o dia 13 de agosto, por decisão de Moraes. Ele é suspeito de integrar uma suposta milícia digital que atua contra a democracia. Em nota, a defesa de Roberto Jefferson informou que vai recorrer da decisão