TRF-2 determina prisão domiciliar para Sérgio Cabral em um dos processos; ex-governador segue na cadeia

Político do Rio de Janeiro seguirá detido por causa de outras quatro condenações; foi a primeira vitória da defesa no tribunal

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2021 20h52 - Atualizado em 13/12/2021 22h07
CASSIANO ROSÁRIO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral quando chegou de algemas para exames no Instituto Médico-Legal de Curitiba (PR) em 19 de janeiro Ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral quando chegou de algemas para exames no Instituto Médico-Legal de Curitiba (PR) em 19 de janeiro

A Primeira Turma Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) decidiu nesta segunda, 13, transformar um dos cinco mandados de prisão contra Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, em prisão domiciliar. Ele ainda teria que usar tornozeleira eletrônica e não poderia ter contato com outros réus do âmbito da Operação Lava Jato. Contudo, Cabral seguirá preso, por causa dos outros quatro processos. A decisão foi por unanimidade, com todos seguindo o voto da desembargadora Simone Schreiber, e representou a primeira decisão a favor de Cabral no TRF-2. A prisão era no âmbito da Operação Eficiência, que investigou crimes de lavagem de dinheiro e ocultação de valores no exterior. O ex-governador está detido desde novembro de 2016, e atualmente se encontra no Batalhão Especial Prisional, em Niterói. Em nota enviada à Jovem Pan, a defesa de Cabral celebrou a decisão, que considera justa por ele não ocupar cargos públicos há muitos anos, e afirmou que ela renova as esperanças de que seja seguida nos outros processos, para que a prisão preventiva não se transforme em cumprimento antecipado de pena.