Sementes misteriosas: Ministério da Agricultura encontra pragas que não existem no Brasil

Pacotes recebidos em várias regiões do país podem estar contaminados com fungos, bactérias e pragas

  • Por Jovem Pan
  • 06/10/2020 15h10
Imagem: DivulgaçãoPacotes das sementes misteriosas foram recebidos em 24 estados e no DF

O Ministério da Agricultura informou nesta terça-feira, 6, que foram encontrados bactérias, fungos e possíveis pragas que não existem no Brasil nos pacotes das sementes misteriosas que foram enviadas a várias regiões do país. As análises laboratoriais, realizadas no Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Goiás, identificaram a presença de três fungos diferentes em 25 amostras, de possibilidade de pragas que não existem no Brasil em quatro amostras e bactéria em duas amostras. Dentro de 30 dias, segundo a pasta, haverá um maior detalhamento dos resultados do estudo. O secretário de Defesa Agropecuária, José Guilherme Leal, afirmou que estão sendo tomadas todas as precauções para que novas pragas não entrem no Brasil, além disso, explicou que a pesquisa para identificar os micro-organismos presentes nas sementes está sendo realizada “do zero” já que o material não apresenta nenhum tipo de certificação.

Segundo o Ministério, os pacotes foram supostamente enviados de quatro países da Ásia, mas ainda não há elementos para afirmar se esta é uma ação intencional para introduzir novas pragas no país. Até o momento, foram confirmadas 258 pacotes de sementes misteriosas em 24 estados e no Distrito Federal. Maranhão e Amazonas foram os únicos estados que ainda não registraram nenhum recebimento. Após a divulgação de todos os estudos, o governo deve entrar em contato com as autoridades fitossanitárias dos países que supostamente foram os remetentes das sementes. Caso necessário, policiais e outros órgãos deverão ser acionados para solucionar o caso.

A quantidade de apreensões desse tipo de material aumentou cerca de 150%, passando de 2 mil para 5 mil por mês, do último ano para este ano. Todos os pacotes recebidos pela central de distribuição dos Correios em Curitiba, onde é centralizada a inspeção de pacotes de menor peso, passam por escaneamento e por cão farejador. Quando identificada alguma suspeita, o material é encaminhado para o Ministério da Agricultura. Apenas no primeiro semestre deste ano, a fiscalização já interceptou 33.734 caixas com produtos vegetais e sementes que apresentam risco na central em Curitiba. Deles, 26.111 foram destruídos, 2.383 foram devolvidos ao local de origem e 5.240 liberados após a inspeção. As sementes misteriosas estão sendo enviadas para casas de brasileiros em todo o país, sendo assim, as pessoas que as receberem, devem encaminhar os pacotes fechados ao Ministério da Agricultura. Mesmo em pequena quantidade, as sementes podem causar prejuízos para a agricultura, já que há possibilidade de estarem contaminadas com algum elemento químico ou produto tóxico, então não devem ser manuseadas, plantadas ou descartadas em lixo comum.