‘PEC da Imunidade é malandragem e covardia oportunista’, diz Augusto Nunes 

Para o comentarista de Os Pingos nos Is, a proposta que tramita na Câmara tem o intuito de ‘blindar bandidos’ 

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2021 19h05
Reprodução/Jovem PanPEC é de autoria do deputado Celso Sabino (PSDB-PA)

Em reação à prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), a Câmara dos Deputados analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata sobre a imunidade parlamentar, de autoria do deputado Celso Sabino (PSDB-PA). A matéria enfrenta resistência de um setor da Casa, entre outros motivos, pelo fato de o texto não ter sido analisado, por exemplo, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Para Augusto Nunes, comentarista de Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, a PEC é uma “malandragem” e “um gesto de covardia oportunista”. Os parlamentares analisam a proposta em uma sessão na noite desta quinta-feira, 25.

“Na última sexta-feira, 364 deputados atropelaram a Constituição para entregar a cabeça de um colega porque ele não tinha um trânsito tão bom entre as várias correntes da Câmara dos Deputados. Agora, querem aproveitar esse caso para fingir que estão reagindo, mas eles querem blindar bandidos. A bandidagem votou em peso contra o deputado Daniel Silveira. Não tem que aprovar essa PEC, não. O que está na Constituição é suficiente [para tratar sobre a imunidade parlamentar]. Basta que a Câmara tenha coragem de votar contra o Supremo Tribunal Federal, coisa que não foi feita no caso do Daniel. Não é pra aprovar essa PEC. Essa PEC é uma malandragem, um gesto de covardia oportunista, como foi a votação contrária a um homem que não cometeu crimes porque não existe crime com palavras, em se tratando de um deputado”, afirmou.