Mindfulness ajuda a memória e a perder peso? Conheça mitos e verdade sobre a técnica de meditação

Efeitos positivos têm sido muito divulgados, mas, como as inúmeras comprovações científicas do uso clínico da técnica são relativamente recentes, muitas informações erradas são publicadas

  • Por Camila Magalhães
  • 27/01/2022 10h00
Lesly Juarez/Unsplash Casa com u cartão com a palacra mindfulness escrito a mão perto da janela Mindfulness é uma prática meditativa em que você está aberto a vivenciar a experiência presente

Hoje eu vou falar sobre alguns mitos e verdades sobre o mindfulness, que nada mais é do uma prática meditativa em que você está aberto a vivenciar a experiência presente, se mantendo consciente e alerta momento a momento. A literatura científica vem mostrando que exercícios de mindfulness ajudam a repensar hábitos e comportamentos, desde concentrar-se em cada garfada do seu almoço (para controlar a ansiedade e a compulsão alimentar) quanto focar nas etapas necessárias para cumprir uma tarefa (em vez de pensar somente com o resultado final). Os efeitos positivos têm sido muito divulgados, mas, como as inúmeras comprovações científicas do uso clínico da técnica são relativamente recentes, muitas informações erradas são publicadas.

Mindfulness pode melhorar a memória?

Verdade. Um estudo mostrou que participar de um programa de mindfulness por oito semanas modifica a massa cinzenta no córtex frontal, que é uma área do cérebro relacionada à aprendizagem, memória, regulação de emoções, capacidade de diminuir distrações e de melhorar a tomada de decisões.

O objetivo é estar atento ao presente o tempo todo?

Mito. As pessoas podem praticar o mindfulness em vários graus de intensidade. Estar plenamente atento ao presente em todos os momentos é impossível e nos deixaria exaustos. Planejar o futuro ou refletir sobre experiências passadas fazem parte de um comportamento saudável. 

Pode ajudar a perder peso?

Verdade. A atenção plena inclui todos os sentidos: olfato, paladar, tato, visão e audição. Por isso, você ficará mais atento ao sabor, textura e cheiro da comida, evitando distrações como a televisão ou o celular. Além de reduzir a compulsão alimentar, estudos mostram que o mindfulness pode reduzir parte do estresse e da depressão relacionados aos esforços para controlar a dieta. 

É preciso esvaziar a mente para praticar?

Mito. Essa ideia faz com que muitas pessoas desistam de praticar mindfulness antes mesmo de começar. Assim como você não pode impedir seu coração de bater ou seu estômago de digerir, não pode impedir seu cérebro de pensar. A atenção plena não é a suspensão de pensamentos, mas uma suspensão de julgamentos. Como diz o ditado: é mais fácil ser um Buda do que um budista: você não precisa adotar um estilo de vida exótico, mas aprender as técnicas do mindfulness é uma oportunidade de estar plenamente vivo e atento à sua própria vida. Tem alguma dúvida ou quer sugerir um tema? Escreve pra mim no Instagram: @dra.camilamagalhaes.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.