La Niña de baixa intensidade é previsto para 22/23

Outras variáveis climáticas poderão ter maior atuação no clima do Brasil podendo, inclusive, anular os efeitos do fenômeno, indica Rural Clima

  • Por Kellen Severo
  • 25/07/2022 10h00
Reprodução/Climate.gov/NNVL Mapa do globo Mapa mostra a diferença na temperatura dos oceanos

Os agricultores brasileiros seguem de olho na previsão do tempo para a temporada 22/23, que deverá começar em cerca de dois meses. O último relatório da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos Estados Unidos indica que o fenômeno La Niña deverá incidir até o verão brasileiro. A NOAA, entidade meteorológica norte-americana, revela que a probabilidade de ocorrência do La Niña é de 66% no trimestre de outubro a dezembro e cai para 45% entre janeiro e março do ano que vem.

A consultoria Rural Clima descarta riscos de quebras de safras como as observadas em 21/22, quando a redução na produção de soja superou 20 milhões de toneladas, por exemplo. A empresa aponta que o fenômeno La Niña será de baixa intensidade para a safra 22/23 e, com isso, outras variáveis climáticas poderão ter maior atuação no clima do Brasil podendo, inclusive, anular os efeitos do La Niña. O fenômeno climático costuma manter o tempo mais seco em áreas do Centro-Sul do país e chuvoso no centro-norte.

Nos Estados Unidos, a safra de grãos em curso já registra problemas em função da irregularidade das chuvas, principalmente no cinturão agrícola. Se as temperaturas se mantiverem altas e com pouca umidade, é esperado que haja comprometimento da safra. Empresas do setor agro já indicam que não haverá condições para recorde de produção. Até o momento, 64% da safra de milho dos Estados Unidos está em boas condições, abaixo do que era observado na mesma época do ano passado. Na soja, 61% das lavouras são avaliadas como boas e excelentes. O mercado global conta com safras fartas nas américas para começar a recompor estoques. Para isso, o clima terá que ajudar.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.