China supera Estados Unidos no investimento direto: o que isso significa para o mundo?

Enquanto Trump cometeu erros, país asiático manteve a epidemia sob controle e virou destino do dinheiro estrangeiro; números sugerem uma mudança do eixo da economia global

  • Por Samy Dana
  • 05/05/2021 12h12 - Atualizado em 05/05/2021 12h36
Wu Wong/EFE - 03/05/2020Principal destino do investimento estrangeiro em 2020, China recebeu US$ 212 bilhões

Com Donald Trump na presidência, os Estados Unidos falharam em controlar a Covid-19, acumularam o maior número de mortes no mundo e tiveram que recorrer a seguidos isolamentos da população. A China, apesar de ter sofrido o maior impacto inicial na pandemia, com o surgimento do coronavírus passou a testar agressivamente a população (depois da reabertura da cidade de Wuhan) e a rastrear os novos casos. Manteve a epidemia sob controle, precisando recorrer menos a lockdowns. E, com a economia reativada mais cedo, foi em 2020 o principal destino do investimento direto no mundo, pela primeira vez à frente dos Estados Unidos. Recebeu US$ 212 bilhões, enquanto US$ 174 bilhões foram investidos no rival norte-americano, segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A Índia, terceira colocada, recebeu US$ 64 bilhões.

Investimentos estrangeiros são diferentes do investimento feito por estrangeiros em títulos públicos ou na bolsa de valores. São investimentos das empresas para atuar no país, produzindo e criando empregos, quase sempre de longo prazo, menos afetados pelas crises de momento. A liderança chinesa não ocorre em condições normais. O fluxo de capital estrangeiro direto recuou 38% no ano passado. É o nível mais baixo (US$ 846 bilhões) desde 2005. Em termos percentuais, correspondeu a apenas 1% do Produto Interno Bruto (PIB) global, algo que não se via desde 1999. Os Estados Unidos, que costumam ser o maior destino do investimento no mundo, viram recuar em 49% o fluxo de capital, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), com a queda de 4% do PIB no ano passado. Com a recuperação da economia em 2021 (6,5% previstos), devem voltar a superar a da China (6%).

No total do estoque de investimento, isto é, o quanto de investimento estrangeiro há no país, os Estados Unidos ainda lideram depois de décadas como o lugar mais atrativo para os investidores estrangeiros. No entanto, pode estar em curso um fenômeno definitivo. Não só a China ficou em primeiro lugar em 2020 como a Índia, em terceiro, recebeu o equivalente a um terço dos investimentos diretos nos Estados Unidos. Mesmo com um provável recuo, os números sugerem uma mudança do eixo da economia mundial. Uma mudança para o leste.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.