Quanto vale a marca do Brasil? São US$ 764 bilhões

Segundo estudo feito pela consultoria britânica Brand Finance, o Brasil tem a 16ª marca mais valiosa do mundo; país teve queda de 15% do valor em comparação ao ano passado devido à situação da pandemia

  • Por Samy Dana
  • 02/12/2020 19h15 - Atualizado em 02/12/2020 20h07
ANDRE MELO ANDRADE/MYPHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDORio de Janeiro, cartão postal do Brasil; estudo britânico ressalta a imagem simpática do país

Quanto vale a imagem do Brasil? Não o tamanho do Produto Interno Bruto, a soma das riquezas do país ou reservas naturais e financeiras, mas a marca da nação. Existe este cálculo, feito pela consultoria britânica Brand Finance, especializada em avaliação de marcas, que publica um ranking anual e aponta este ano que a marca Brasil vale US$ 764 bilhões. Em 2019, esse valor era de US$ 900 bilhões. No estudo, o Brasil tem a 16ª marca mais valiosa do mundo. Teve uma queda de 15% no valor. Em cifras, US$ 136 bilhões a menos. O ranking leva em conta não só indicadores como o PIB como investimento estrangeiro direto, ambiente de negócios, a reputação do país e sua capacidade de influenciar outras nações. Longe de ser só uma curiosidade, envolve fatores que investidores e empresas levam em conta na decisão de colocar dinheiro em um país. Parte da queda pode ser atribuída à situação da pandemia no país, com o Brasil registrando a quinta pior média de mortes por milhão no mundo – 782. Mas o relatório também ressalta a imagem simpática do país, que pontua bem, por exemplo, como um grande lugar para se visitar e por ter um povo amigável.

Marcas mais valiosas:

1. Estados Unidos: 23,7 trilhões (-14,5%)

2. China: 18,8 trilhões (-4%)

3. Japão: 4,2 trilhões (-6%)

4. Alemanha: 3,8 trilhões (21,5%

5. Reino Unido: 3,3 trilhões (-13,9%)

6. França: 2,7 trilhões (-12,8%)

7. Índia: 2 trilhões (-20,8%)

8. Canadá: 1,9 trilhão (13%)

9. Itália: 1,7 trilhão (-15,8%)

10. Coreia do Sul: 1,6 trilhão (-20,6%)

No ranking geral, os Estados Unidos são os donos da marca mais valiosa – US$ 237 trilhões. A China vem em segundo, valendo US$ 18,8 trilhões. Só que enquanto a americana perdeu 14,5% do valor, o país asiático só perdeu 4%. Ou seja, em um ano a vantagem caiu. Não é surpresa, as marcas mais valiosas estão ligadas às maiores e mais importantes economias do mundo. Mesmo assim, no total, houve uma perda geral de US$ 13 trilhões no valor das marcas dos países. Poucos conseguiram ver sua marca melhorar esse ano. Entre os mais ricos, apenas a Irlanda. E no geral, o melhor deles foi o Vietnã.

Alta x queda:

  • Vietnã +29%
  • Argentina -57%

Com uma previsão de crescimento da economia de 2,4%, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), teve uma valorização de quase 30%. O Vietnã foi um dos países que se destacou pelo combate à Covid-19. Colheu crescimento econômico e também uma melhoria na percepção do país. E quem foi pior? A Argentina, local da quarentena mais longa do mundo – sete meses –, que foi encerrada apenas no último domingo. A previsão de queda no PIB em 2020 é de quase 12%. O rigor do isolamento não impediu o país de se tornar o quarto do mundo com mais mortes por milhão – 796. E a dupla crise, sanitária e do PIB, se soma à economia enfraquecida há quase uma década. Resultado: uma queda de 57% no valor da marca do país.