Bruna Torlay: ‘Quem exerce a ditadura hoje são justamente os juízes que promovem instabilidade’

Declaração foi dada pela comentarista durante o programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta segunda-feira, 9, que debateu a votação da PEC do voto impresso

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2021 18h02 - Atualizado em 09/08/2021 19h44
Jovem PanBruna Torlay falou sobre a votação da PEC do voto impresso

A PEC do voto impresso será votada nesta terça-feira, 10. O acordo foi costurado nesta segunda-feira, 9, em um almoço entre os líderes da Câmara dos Deputados e o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL). Elaborada pela deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), a proposta deve ser derrotada mais uma vez. Caso seja aprovado, o texto segue para o Senado. Para que a alteração do sistema de votação do país entre em vigência nas eleições gerais de 2022, a mudança precisa ser promulgada até outubro deste ano. A inclusão deste item na pauta representa mais uma derrota para os aliados do presidente Jair Bolsonaro, que defendiam que o texto fosse votado apenas quando o governo tivesse o apoio necessário. Por outro lado, a maioria dos deputados entende que as discussões sobre o tema precisam ser resolvidas. Em entrevista à rádio Brado, da Bahia, Bolsonaro admitiu a possibilidade da proposta ser barrada na Câmada. “O Arthur Lira vai [chamar para plenário], mas se não tiver uma negociação antes, um acordo, vai ser derrotada a proposta porque o ministro Barroso apavorou alguns parlamentares”, afirmou o presidente. As Forças Armadas realizarão um desfile de blindados e tanques de guerra na Esplanada dos Ministérios, em Brasília no mesmo dia em que a votação da PEC irá acontecer. Cerca de 2,5 mil militares irão participar do evento.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, a comentarista Bruna Torlay falou sobre o tema e a cerimônia militar, dizendo que a mídia agiu com “astúcia” para manipular a população e que os juízes exercem uma ditadura no Brasil hoje. “Seria bom que a gente tivesse em algum momento um conflito positivo que levasse a soluções construtivas. Eu realmente não vejo nada de especial nessa cerimônia a não ser a extrema astúcia por parte do grande partido de oposição que está ativo hoje e que é parte da imprensa  em manipular o consenso. (…) Enquanto aqueles [que estão] em torno do Bolsonaro nem tenham imaginado que o pessoal pudesse explorar essa suposta relação entre um desfile de novos equipamentos e a votação no Congresso, aqueles que realmente têm habilidade política (…), muito inteligentemente exploram o imaginário da população de identificar canhão, golpe e jogam essa narrativa de maneira maliciosa para fazer uma cortina de fumaça enquanto que, na verdade, quem está dando golpe, quem exerce ditadura hoje são justamente os juízes que deveriam julgar o que acontece. São eles que promovem essa instabilidade”, afirmou a comentarista.

Confira a íntegra do programa desta segunda-feira, 9: