Constantino critica tratamento dado a ex-estagiária de Lewandowski: ‘Vão destruir a vida dela’

Comentaristas do programa 3 em 1, da Jovem Pan, falaram sobre a polêmica envolvendo a ex-funcionária do ministro do Supremo Tribunal Federal

  • Por Jovem Pan
  • 06/10/2021 18h03 - Atualizado em 06/10/2021 19h11
Nelson Jr./SCO/STFGabinete do ministro disse que suas decisões são fundamentadas e possuem embasamento legal

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quarta-feira, 6, que Tatiana Garcia Bressan, ex-estagiária do ministro Ricardo Lewandowski, seja ouvida pela Polícia Federal. Segundo informações da PF obtidas pela “Folha de S.Paulo”, a funcionária — que estagiou no gabinete de Lewandowski de julho de 2017 a janeiro de 2019 —  passava informações sobre o trabalho dos ministros da Corte ao blogueiro Allan dos Santos, investigado no inquérito das fake news. Por meio da quebra de sigilo telefônico dele, a polícia obteve conversas por mensagem entre Tatiana e Allan. A estagiária teria procurado o blogueiro para demonstrar interesse em trabalhar no gabinete da deputada federal Bia Kicis (PSL-DF). Allan, por sua vez, pediu que Tatiana atuasse como “informante” no gabinete de Lewandowski. “Será uma honra. Estou lá kkk”, respondeu. A partir de conversas que a estagiária teve com outras pessoas, foi levantada a suspeita sobre a lisura das decisões tomadas pelo ministro. Em nota, o gabinete do ministro disse que as decisões tomadas por ele possuem embasamento legal.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, o comentarista Rodrigo Constantino falou sobre a repercussão da denúncia, dizendo que o tratamento dado à ex-estagiária do ministro é “rídiculo” e afirmando que o sigilo de fontes de jornalistas deveria ser respeitado. “Eu jurava que esse tipo de coisa fosse comum no jornalismo, que todo jornalista tivesse alguém de dentro de diversas repartições, até do Executivo. São as fontes. […] Uma pessoa que trabalha num gabinete, que, voluntariamente, vai conversar com um jornalista que é chamado de blogueiro bolsonarista por militantes esquerdistas disfarçados de jornalistas nas redações de jornais. É uma fonte que deveria ter seu sigilo. Vão destruir a vida dela. O STF já está querendo convocar ela para prestar esclarecimentos, a mídia está tratando a mulher como uma espiã, e olha como é que as coisas são invertidas”, analisou Constantino, que concluiu: “A gente descobre que esquerdista que se diz jornalista tem fonte e gente que é independente ou simpática a governo de direita são blogueiros com espiões. É ridículo”.

Confira o programa desta quarta-feira, 6: