Constantino: ‘Se Pacheco quer pacificar o país, deve levar pedidos de impeachment de ministros do STF ao plenário’

Declaração foi dada pelo comentarista durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta quarta-feira, 18, que analisou o encontro entre o presidente do Senado e o do STF, Luiz Fux

  • Por Jovem Pan
  • 18/08/2021 17h58 - Atualizado em 18/08/2021 18h36
Marcos Oliveira/Agência Senado Senador Rodrigo Pacheco Presidente do Senado se reuniu com Luiz Fux nesta quarta-feira, 18, para discutir soluções para a crise entre os Poderes

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que a democracia não pode ser questionada como vem sendo nos últimos dias. A declaração foi feita na saída da reunião que teve com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux. A reunião teve como objetivo discutir soluções para a crise entre os três poderes, em especial, o desgaste do Judiciário com o Poder Executivo, que se intensificou após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) direcionar ataques ao Supremo e ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os tribunais abriram investigações sobre o mandatário do executivo. Pacheco também afirmou que o radicalismo e o extremismo são ruins para a democracia. “O reinício de uma relação positiva entre os Poderes para aquilo que interessa às pessoas […] que precisam de pacificação e do exemplo dos homens públicos que estão em Brasília”, afirmou.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, o comentarista Rodrigo Constantino disse que não é possível encontrar pacificação no contexto que existe no Brasil hoje, destacando que Pacheco deveria atender seus deveres “cívicos, patrióticos, morais e democráticos” e levar o pedido de impeachment dos ministros do Supremo para o plenário do Senado. “Não há consenso e pacificação possível com um lado que diz que você é fascista, negacionista e precisa ser excluído do diálogo. Não há como encontrar nenhuma pacificação nesses termos. O que o senador Rodrigo Pacheco tem como dever cívico, patriótico, moral e democrático é realmente levar ao plenário algum desses pedidos. É muito incômodo ele dizer que vão ser apreciados dentro do prazo e da rotina do Senado enquanto na prática significa enterrar e arquivar. Tem um pedido que conseguiu colher mais de três milhões de assinaturas, mostrando o peso popular. Mas, além disso, tem vários embasamentos jurídicos e técnicos. Muitos juristas renomados têm apontado os abusos constantes e crescentes dos ministros do Supremo. Se o Rodrigo Pacheco quer pacificar o país, ele tem uma única alternativa: levar ao plenário, que é o dever dele como presidente do Senado, esses pedidos de impeachment”, afirmou o comentarista. 

Confira a íntegra da edição do programa desta quarta-feira, 18: