‘Existe esperança de mudança positiva no STF’, analisa Constantino após aprovação de Mendonça

Comentaristas do programa 3 em 1, da Jovem Pan, analisaram a aprovação do novo ministro e apontaram as perspectivas para a trajetória do magistrado na Corte

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2021 17h58
Edu Andrade/Estadão ConteúdoNomeação de Mendonça foi aprovada na quarta-feira, 1º, no plenário do Senado por 47 votos a favor e 32 contrários

O presidente Jair Bolsonaro (PL) comemorou nesta quinta-feira, 2, a aprovação de André Mendonça para assumir uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). O chefe do Executivo afirmou que conseguiu cumprir o “compromisso” de indicar um nome “terrivelmente evangélico” a Suprema Corte. “Hoje para mim, para todos nós, para os cristãos, também é um dia bastante feliz. No dia de ontem conseguimos enviar para o STF um homem terrivelmente evangélico. Um compromisso nosso de mandar para a Suprema Corte uma pessoa que tem Deus no coração”, declarou durante um evento de formação de sargentos do Exército, no Rio de Janeiro. A nomeação de Mendonça foi aprovada ontem no plenário do Senado por 47 votos a favor e 32 contrários, sendo o resultado mais apertado dentre os ministros que compõem a atual Corte. Na tarde desta quinta, Bolsonaro recebeu André Mendonça ao lado do vice-presidente, Hamilton Mourão, para que assinassem essa confirmação de que ele será o novo ministro do STF. A posse está marcada para o dia 16 de dezembro.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta quinta-feira, 2, o comentarista Rodrigo Constantino analisou a aprovação de Mendonça pelo Senado Federal, afirmando que ela representa uma esperança de “mudança positiva no STF”, citando que a indicação anterior feita por Bolsonaro não deu certo. “Que bom que vamos ter um ministro, se for isso mesmo, constitucionalista, como deixou claro na sabatina, e com Deus no coração. Ou seja, alguém que quer fazer valer alguns costumes que estão sendo desafiados por uma minoria organizada e barulhenta que quer legislar no lugar dos legisladores. Vamos ver o que aguarda pela frente, mas eu acho que existe ai uma esperança de um começo de mudança positiva no STF. A primeira indicação do presidente (ministro Nunes Marques) foi bem decepcionante”, analisou Constantino.

Confira o programa desta quinta-feira, 2: