Politização interditou debate importante sobre vacinação infantil, diz Serrão

Comentaristas do programa 3 em 1, da Jovem Pan, analisaram repercussão da audiência sobre a imunização de crianças com idade entre 5 e 11 anos

  • Por Jovem Pan
  • 04/01/2022 18h01
ANTONIO MACHADO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 22/12/2021 Mão feminina segura frasco de vacina e coloca agulha Vacinação para crianças está sendo motivo de debates no Brasil

A secretária-extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da SaúdeRosana Leite de Melo, afirmou, nesta terça-feira, 4, que a maioria dos participantes da consulta pública realizada para que a sociedade se manifestasse sobre a vacinação de crianças de 5 a 11 contra a doença foi contrária à exigência de prescrição médica para a imunização do público infantil. De acordo com a servidora, pouco mais de 99,3 mil pessoas foram ouvidas. A maioria também foi contrária à compulsoriedade da vacinação. “Tivemos 99.309 pessoas que participaram nesse curto intervalo de tempo, cujo documento esteve para consulta pública. A maioria se mostrou concordante com a não compulsoriedade da vacinação e a priorização das crianças com comorbidades. A maioria foi contrária à obrigatoriedade de prescrição médica no ato de vacinação. Teremos, hoje, a penúltima etapa deste processo, que serão as apresentações deste grupo seleto [de especialistas]. Amanhã, materializaremos um documento com as diretrizes que serão adotadas sobre o tema”, disse Rosana Leite de Melo.

Durante o programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta terça, o comentarista Jorge Serrão classificou como “importante” a realização da audiência pública sobre a vacinação de crianças e afirmou que o debate sobre a questão de saúde no Brasil foi interditado pela politização do tema. “Foi muito importante (realizarem) uma audiência pública para discutir um tema tão relevante. Isso não pode ficar escondido da sociedade, ela não pode ser privada de um debate tão sério. Infelizmente, a politização gerou a interdição perigosa de um debate sobre a saúde. Todo mundo sabe que o tempo é o senhor da razão na vacinação. Você só vai saber se a vacina funciona e quais são seus efeitos colaterais com o tempo. Cada pessoa reage de um jeito. O que aconteceu na Covid-19 foi uma emergência, com todos tendo que tomar uma vacina feita a toque de caixa”, afirmou Serrão.

Confira o programa desta terça-feira, 4: