‘Pura demagogia para tachar Bolsonaro como misógino’, diz Constantino sobre veto à distribuição de absorventes

Comentaristas do programa 3 em 1 falaram sobre articulação dos parlamentares para derrubarem veto do presidente ao artigo que previa a distribuição gratuita do item de higiene

  • Por Jovem Pan
  • 08/10/2021 18h05 - Atualizado em 09/10/2021 12h41
Jovem Pan/3 em 1Comentarista disse que a esquerda interdita o debate sobre o tema para mostrar falsa virtude

Diante das críticas de parte do Congresso, sobretudo da bancada feminina, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 7, que foi obrigado a vetar o projeto de lei que garantia a distribuição gratuita de absorventes para mulheres de baixa renda em função de um possível crime de responsabilidade. Na justificativa para o veto, Bolsonaro argumentou, entre outros motivos, que o texto aprovado não previa fonte de custeio para as medidas. “Quando qualquer projeto cria despesa, o parlamentar sabe que tem que apresentar a fonte de custeio. Quando não apresenta, se eu sanciono, eu estou em curso no artigo 85 na Constituição, é crime de responsabilidade. Agora isso é feito propositalmente para desgastar. Cria uma onda terrível no Brasil”, justificou.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta sexta-feira, 8, o comentarista Rodrigo Constantino falou sobre o tema, dizendo que a polêmica em torno do caso é “pura demagogia” para tentar taxar Bolsonaro como misógino. “Está tudo fora de lugar. É pura demagogia para tentar atingir o presidente Bolsonaro como alguém insensível, misógino e por aí vai”, analisou Constantino. Em seguida, o comentarista disse que a esquerda apelou para o ‘monopólio da virtude’ para interditar o debate por trás da proposta de distribuição do material. “É o monopólio da virtude. A esquerda apela o tempo inteiro para isso. Você é a favor do meio que eu estou apresentando: o Estado distribuir, sem apresentar fonte, absorventes? ‘Não, sou contra esse meio’. Então você é insensível e não liga para as mulheres que estão sangrando. É uma tática velha de não debate, de encerrar o debate. […] É puro sensacionalismo, é pura demagogia. É uma forma de você sinalizar falsa virtude”, concluiu o comentarista.

Confira o programa desta sexta-feira, 8: