‘Revanchismo e desmoralização do TSE’, diz Constantino sobre investigações do 7 de setembro

Comentarista do programa 3 em 1 analisou o procedimento, afirmando que o TSE ‘tem partido’ e que a esquerda ‘não digeriu’ a eleição de Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 15/09/2021 18h09
Reprodução/Jovem PanComentarista criticou a investigação, classificando-a como revanchismo

O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, Luiz Felipe Salomão, vai investigar quem foram os financiadores e o motivo do aporte financeiro dos atos do 7 de setembro. O objetivo seria apurar se houve pagamento de transporte, diárias, quem participou da organização e se teve conteúdo de campanha eleitoral antecipada. A investigação deverá ser incluída na investigação sobre o presidente Jair Bolsonaro em trâmite no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Serão investigados possíveis abusos de poder econômico e político, uso indevido de meios de comunicação social, corrupção, fraude, condutas vedadas a agentes públicos e propaganda extemporânea. O inquérito foi anunciado pela Corte no início de agosto com o objetivo de apurar fatos que constituem crimes eleitorais relativos aos ataques contra o sistema eleitoral de votação e a legitimidade das eleições de 2022.

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta quarta-feira, 15, o comentarista Rodrigo Constantino falou sobre a investigação. Ao ser questionado pelo apresentador Paulo Mathias se a ação configurava um revanchismo, o comentarista concordou e disse que a esquerda ainda não aceitou a eleição de Bolsonaro. “É um revanchismo e é pior do que isso. Não é só uma desmoralização do TSE. O que nós estamos observando, e por isso milhões foram às ruas no dia 7, e ninguém no dia 12, é um golpe à democracia. O presidente foi eleito com quase 58 milhões de votos, isso não foi digerido pelo stablishment, pela oposição, pela esquerda em geral. É isso que está acontecendo”, afirmou Constantino. Em seguida, o comentarista foi mais enfático às críticas contra o TSE, dizendo que o tribunal tem partido  e não vê a campanha antecipada de Lula. “Está muito claro o que está acontecendo no Brasil. O Lula foi solto de forma indevida e tornado elegível de forma ainda mais bizarra e está em campanha antecipada faz tempo. E o TSE não enxerga, porque o TSE tem partido. Se bobear daqui a pouco bota a estrelinha do PT no peito. Isso é que está errado e está destruindo de vez a nossa democracia”, concluiu.

Confira o programa desta quarta-feira, 15: