Exclusivo: Reinaldo exalta volta por cima no São Paulo e revela bastidores antes do título

Em entrevista ao ‘Esporte em Discussão’, o ala falou sobre a dor em ser criticado pela torcida são-paulina durante sua primeira passagem, enalteceu a reviravolta na carreira e falou da confiança do grupo antes da final do Paulistão diante do Palmeiras

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2021 14h25 - Atualizado em 24/05/2021 14h30
Reprodução/Jovem PanReinaldo concedeu entrevista à Jovem Pan após o título do São Paulo no Paulistão

Reinaldo viveu uma trajetória cheia de reviravoltas no São Paulo. Contratado em 2013, o lateral esquerdo passou por vários sufocos no Morumbi, como a luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro e as constantes críticas dos torcedores. Após empréstimos para Ponte Preta e Chapecoense, o jogador retornou mais maduro, confiante e demonstrando um bom futebol, caindo nas graças da torcida. A grande coroação deste momento aconteceu no último domingo, 23, quando o ala tornou-se campeão pelo Tricolor pela primeira vez, ajudando o clube a sair da fila de oito anos sem títulos ao conquistar o Paulistão diante do Palmeiras. Em entrevista exclusiva ao programa “Esporte em Discussão”, do Grupo Jovem Pan, “Kingnaldo”, como ficou conhecido entre os são-paulinos, relembrou a sua volta por cima.

“Desde a minha chegada, em 2013, eu sempre fui um cara muito criticado, um cara que a torcida pegava no pé. Depois dos empréstimos, onde fiz temporadas excelentes, os torcedores me receberam muito bem. Tem até uma história… quando o locutor do estádio do Morumbi anunciava meu nome, na primeira passagem, eu já esperava xingamentos. Depois, quando eu voltei, gritavam o meu nome. Foi uma mudança muito boa. Agora é só carinho e amor”, comentou Reinaldo, nesta segunda-feira, 24. O lateral ainda reconheceu que o primeiro empréstimo, para a Ponte Preta, foi essencial na sua carreira. “Quando acontecia isso [vaias da torcida], e era antes dos jogos, entrava já com medo de errar. Não ficava leve. Para superar isso, agradeço muito a Ponte Preta, que abriu as portas. Lá, eu fiz excelente Campeonato Brasileiro, jogando em alto nível. No fim da temporada, muitos clubes me procuraram. Depois, com tudo que aconteceu com a Chape, fui lá para ajudar. Voltei mais forte, com mais confiança e mais maduro para superar essa primeira passagem pelo São Paulo. Foi muito importante essa passagem na Ponte, um clube de massa, onde eu consegui administrar essa pressão do futebol”, completou.

O sentimento de sair da incômoda fila de títulos e se tornar ídolo do São Paulo quase aconteceu na temporada passada, quando Reinaldo fez parte do time que liderou o Brasileiro e chegou à semifinal da Copa do Brasil, mas que acabou perdendo o fôlego e ficou sem nenhuma taça. De acordo com o lateral, o conjunto utilizou se fortaleceu após as frustrações mais recentes. “O momento de derrota é sempre difícil, mas todos os meus companheiros e eu aprendemos muito com essas derrotas. Perdemos a Copa do Brasil no mata-mata jogando bem, além do Brasileirão. Foi um aprendizado. Aprendemos muito com tudo isso”, disse o ala, que revelou bastidores da final do Paulistão. “Nas quartas e na semifinal deste Paulistão, estávamos tranquilos e sabendo o que deveríamos fazer e, na final, estávamos confiantes. Tanto que eu e o Bruno Alves já estávamos brincando, antes mesmo de enfrentar o Palmeiras, de quem iria levantar a taça, complementou Reinaldo, que falou em ter alcançado um sonho. “Para um jogador entrar na história do clube, tem que ser campeão. Eu estava trabalhando muito forte, buscando meu espaço, correndo muito nos jogos. Tinha certeza que com esse título, que eu estava buscando desde 2013, viria o reconhecimento. Agora, graças a Deus, vai ter um quadro com o meu rosto porque é a realização de um sonho. Sempre quis isso”, finalizou.