Flavio Prado alerta clubes para riscos de ‘guerra’ com a Globo: ‘É tiro no pé’ 

Para o comentarista do Grupo Jovem Pan, os clubes têm mais a perder com esse embate do que a emissora carioca

  • Por Jovem Pan
  • 03/07/2020 14h50 - Atualizado em 03/07/2020 14h55
Montagem sobre fotos/Reprodução/Daniel Castelo Branco/Estadão ConteúdoO comentarista Flavio Prado (à esquerda) opinou sobre o rompimento do Flamengo com a Rede Globo

A publicação da MP 984, que dá ao clube mandante a liberdade de negociar os direitos de transmissão de um jogo com qualquer emissora de TV, já começou a mudar a forma de se consumir futebol no Brasil. O Flamengo transmitiu a partida contra o Boavista, na última quarta-feira, 01, na FlaTV, o canal do time rubro-negro no YouTube, e outras equipes já se mostraram favoráveis à essa nova realidade. Por sua vez, a Rede Globo, que detém os direitos de transmissão dos principais campeonatos do País, posicionou-se contra a execução da medida em torneios cujos contratos estão em vigência e anunciou a rescisão do vínculo com o Campeonato Carioca, colocando em xeque o futuro das exibições dos jogos de futebol no Brasil. 

Para Flavio Prado, comentarista do Grupo Jovem Pan, os clubes têm mais a perder com esse embate do que a emissora carioca. Em participação no Esporte em Discussão desta sexta-feira, 03, o jornalista elevou o tom, classificou os Estaduais como “micos terríveis” e disse que as equipes não terão competência para transmitir jogos por conta própria. Segundo Flavio, romper com a Globo seria um “tiro no pé” para os clubes e a confirmação da entrada dos torneios regionais em um “buraco sem fim”. 

“A Globo estava louca para se livrar desses campeonatos”, disparou Flavio Prado. “As audiências da Globo nos campeonatos regionais são terríveis, péssimas. É claro que, se você tem uma final entre Corinthians e Palmeiras, Corinthians e São Paulo, Flamengo e Fluminense, a audiência será grande, porque o jogo extrapola o campeonato. Agora… Esses jogos menores, que você tem que transmitir durante os primeiros meses do ano, são micos terríveis! E o custo é muito elevado. Os campeonatos regionais estão mortos! Bahia e Vitória, por exemplo, não jogam mais com o time principal. O Athletico-PR, também. Eu acho que é um grande tiro no pé! A Globo não perde nada, e os clubes vão perder essa empresa que bancava essa porcaria aí só para poder ter um bom produto no segundo semestre, que é o Campeonato Brasileiro”, acrescentou. 

“Não acredito que isso se mantenha sozinho e não acredito que os clubes tenham competência para fazer transmissões individualmente com boa qualidade. Isso, no começo, é uma atração, é diferente, o Flamengo nesse momento é uma grande atração, mas não é sempre assim. Eu duvido que os clubes brasileiros tenham capacidade para se manter sozinhos, já que eles não conseguem nem vender patrocinador máster! Sempre há uma exceção ou outra, mas eles não conseguem nem vender patrocinador de camisa. Como é que vão conseguir transmitir jogos de futebol? Para se ter um negócio de qualidade, você precisa ter uma negociação coletiva, e, aí, a empresa, a liga, cria uma situação para que tudo seja produzido pela própria liga, bancando, com gente profissional. Do jeito que os clubes são, vão contratar produtora do amigo do irmão do tio de um conselheiro, e vai ficar uma porcaria! Pode esperar, é uma questão de tempo! Deram um tiro no pé, e a boa notícia é que esses campeonatos regionais estão entrando num buraco sem fim”, finalizou. 

Confira, abaixo, a íntegra do debate no Esporte em Discussão: