Mauro Beting exige que Ceará x SPFC seja anulado: ‘Não dá para deixar passar’

Leia o que o comentarista do Grupo Jovem Pan falou sobre a polêmica envolvendo o VAR (Árbitro de Vídeo) no Campeonato Brasileiro

  • 26/11/2020 14h54 - Atualizado em 26/11/2020 15h03
KELY PEREIRA/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOO São Paulo ficou na bronca com a arbitragem na partida contra o Ceará

O empate entre Ceará e São Paulo na última quarta-feira, 25, pelo Campeonato Brasileiro foi marcado por uma polêmica de arbitragem. Já no segundo tempo, o Tricolor viu o seu gol ser validado após uma checagem do VAR e confirmado pelo juiz Wagner do Nascimento Magalhães. Logo após o apito de reinício do jogo, o árbitro voltou paralisou a partida, mudou a sua decisão com o auxílio da tecnologia e invalidou o tento do time paulista, atitude esta proibida no regulamento da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). No programa Esporte em Discussão, do Grupo Jovem Pan, o comentarista Mauro Beting exigiu que o confronto seja refeito, já que o caso deve ser classificado como erro de direito.

“Eu anularia muito o jogo! Se eu fosse o São Paulo, iria para a Justiça porque é um caso claro de erro de direito e que a gente não pode deixar passar batido. Na partida entre Botafogo e Palmeiras, do ano passado, não houve apito, um caso diferente do atual. É bom deixar claro que agora tem tudo tipificado para classificar como erro de direito. Se houve um apito e um gesto, não pode voltar. Foi o que aconteceu. Não é nem a confissão do árbitro, mas, sim, o gestual. A prova é claríssima! [O gol] Estava impedido, é indiscutível. Mais indiscutível ainda é o árbitro ter errado depois. Então, tem que voltar o jogo. É erro de direito! O São Paulo tem que ir ao Tribunal, que precisa anular a partida. Não é para passar a limpo a história do país, mas é um caso claro que não se pode passar por cima das regras. Tem que ser refeito!”, opinou Mauro Beting, na edição desta quinta-feira, 26.

Executivo de futebol do São Paulo, Raí admitiu que pode ir ao Supremo Tribunal de Justiça Deportiva (STJD) para reivindicar a impugnação do confronto. “A única certeza que temos é que tem um erro absurdo, de direito. Vamos buscar todos os questionamentos, gravações e o VAR. Temos que saber por que anulou, validou e voltou atrás. E por que autorizou, um erro de direito que tira a credibilidade da arbitragem mais uma vez”, disse raí, em entrevista coletiva. Com o empate, o Tricolor permaneceu na terceira posição, agora quatro pontos atrás do líder Atlético-MG, que venceu o Botafogo por 2 a 1, no Mineirão.

Assista ao debate abaixo: