‘O São Paulo foi derrotado pela palhaçada do VAR’, dispara Flavio Prado

“Eu não gostava da ideia de ter tecnologia no futebol, mas ficou provado, pela Europa, que funciona, que é legal; agora, aqui no Brasil, é circo, é palhaçada!”, detonou o comentarista do Grupo Jovem Pan

  • Por Jovem Pan
  • 04/09/2020 14h44
Montagem sobre fotos/ReproduçãoFlavio Prado avaliou o polêmico gol anulado de Luciano em Atlético-MG 3 x 0 São Paulo

O polêmico gol anulado de Luciano na derrota do São Paulo para o Atlético-MG, na última quinta-feira, 02, no Mineirão, revoltou Flavio Prado. Em participação no Esporte em Discussão desta sexta, 04, no Grupo Jovem Pan, o comentarista elevou o tom e rasgou críticas à forma como o VAR tem atuado no Brasil. O jornalista classificou a utilização da ferramenta no País como “um circo, uma palhaçada” e disse que quem derrotou o time tricolor no jogo válido pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro não foi o Atlético-MG, e sim o árbitro de vídeo.

“Sabe o que me lembrou ontem? Vou fazer uma péssima comparação, mas eu posso fazer isso porque tenho a tranquilidade de ter convivido com um alcoólatra, o meu pai. Sabe o que pareceu ontem? O cara está se recuperando, saiu de uma clínica de reabilitação de alcoólatras, e aí, alguém chega e fala assim: ‘toma só uma gotinha, só um licorzinho’. O VAR deu o licorzinho para o bebum! E, aí, o cara voltou a ficar com problema. O São Paulo ontem foi derrotado pelo VAR. Tomou 3 a 0? Tomou, foi um baile. Só que, antes do primeiro gol do Atlético-MG, o São Paulo estava dando um baile! Dominava completamente, meteu duas bolas na trave, fez um gol legal dentro do bom-senso… E, aí, quando deram o álcool para a pessoa que está se recuperando da doença do alcoolismo, voltou a beber desesperadamente!”, analisou.

“O time do São Paulo é todo assustado, isso é verdade, mas vinha de três vitórias, estava se impondo no jogo e, depois que o VAR fez essa palhaçada, decaiu completamente. O São Paulo, ontem, perdeu para o VAR! Porque, depois daquilo, ele perderia para qualquer time. Imagina, então, para o Atlético-MG, que tem bons jogadores e é muito bem treinador. O São Paulo tem um problema grave, e o VAR, fazendo o que fez, aquela palhaçada, fez com que o time se desequilibrasse. Não pode se desequilibrar tão facilmente, e isso é uma outra discussão, mas, ontem, a derrota do São Paulo se deve ao VAR!”, acrescentou.

Críticas à utilização do VAR

Flavio Prado não poupou a forma como o árbitro de vídeo tem atuado no Brasil. Após a exibição de um vídeo de 2019, no qual o chefe de arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, explica a maneira como as linhas são traçadas pelos operadores do VAR para avaliar lances duvidosos de impedimento, o comentarista do Grupo Jovem Pan disparou. “A tecnologia tem que estar no futebol? A maior prova de que sim é que ela funciona na Europa. Ela já mudou os rumos de uma Champions League, com aquele gol do Tottenham contra o Manchester City, funciona na Premier League… Tudo com uma precisão fabulosa. Mas é preciso que as pessoas saibam fazer. Nesse vídeo do Gaciba explicando como são traçadas as linhas em um lance de impedimento, nós vimos que ele fala com um tal de Paulo, que é o cara que sabe mexer na tecnologia. Mas reparem que o Gaciba fala assim: ‘vai, vai, vai (movimentando as linhas)… Aqui para mim está bom!’. Isso tudo é humano! Quando você está trabalhando em frames, quando você começa a tratar esse ‘aqui para mim está bom’ como um fio de cabelo, meio dedo, uma sobrancelha, é complicado!”, criticou.

“Eu não estou nem falando de má-fé, e sim de incompetência, mesmo! Você não pode ser tão milimétrico numa coisa que é humana! É um ser-humano que está fazendo isso! Você tem que usar isso com parcimônia e com certeza para melhorar. Se não fizer isso, passa a ser casuístico! Porque o cara pode pedir mais um frame ou menos um frame para o ‘Paulo’ que está ao lado dele. E não é essa a ideia! Em nenhum momento a Fifa falou que tem que ser assim, milimétrico… Não existe isso! A ferramenta é para corrigir erros! No Brasil, eles estão caçando, procurando coisas! Já se nota a interpretação da tecnologia. Não dá, não é isso! A interpretação tem que ser do árbitro em campo! Eu não gostava da ideia de ter tecnologia no futebol, mas ficou provado, pela Europa, que funciona, que é legal. Agora… Aqui, no Brasil, é circo! É palhaçada!”, finalizou.

Confira o comentário completo de Flavio Prado no vídeo abaixo: