Vice do Cuiabá explica demissão de Valentim e desmente boatos: ‘Fake news’

Em entrevista exclusiva ao ‘Esporte em Discussão’, Cristiano Dresch afirmou que a diretoria se arrependeu de ter contratado o técnico e chamou de ‘idiotas’ os responsáveis por propagarem boatos

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2021 13h47 - Atualizado em 31/05/2021 16h26
Montagem sobre fotos/Reprodução/Assessoria de comunicação do CuiabáVice-presidente do Cuiabá falou sobre a demissão de Valentim

O vice-presidente do Cuiabá, Cristiano Dresch, concedeu entrevista exclusiva ao programa “Esporte em Discussão”, do Grupo Jovem Pan, e explicou o motivo da demissão de Alberto Valentim, técnico que foi desligado após o empate em 2 a 2 com o Juventude, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro, deixando a equipe do Mato Grosso de maneira invicta, colecionando sete vitórias e três empates. À JP, o dirigente afirmou que, apesar dos bons resultados, o time estava apresentando um futebol muito aquém do esperado. Além disso, ele reconheceu que a diretoria do clube auriverde errou ao contratar o treinador, com passagens por Palmeiras, Botafogo e por outras agremiações, incluindo o futebol do Egito.

“O grande problema não foi a demissão no primeiro jogo da Série A. Erramos na contratação, essa foi o problema. O Cuiabá tem um perfil diferente. Quem estava acompanhando o dia a dia, já via que o trabalho não era bom. Nós já estávamos com dificuldade no Estadual, um dos mais fracos do país. A gente esperava que tivesse uma melhora no trabalho, na progressão do time. Estamos há 12 anos no futebol e sabemos rapidamente o que é bom e o que é ruim. Nossa insatisfação já era relada para o Alberto. O time tinha dificuldade em construir jogadas, de progredir e criar chance. Isso tudo foi discutido internamente. Não cabia a nós antecipar para a torcida que ele seria mandando embora porque o time não estava jogando bem”, comentou Dresch.

“Demos mais uma chance ao Alberto contra o Juventude, percebemos os mesmos erros que estavam acontecendo e decidimos a demitir. Enfrentamos adversários bem mais fracos, que não dão parâmetro. Fomos eliminados pelo 4 de julho, do Piauí, na Copa do Brasil. Analisamos que o Cuiabá não continuaria na elite do futebol com esse trabalho. O que aconteceu com o Alberto foi fora da curva, inesperado. Mas o trabalho que estava sendo feito estava muito distante do que nós queríamos”, completou o dirigente, ressaltando que a diretoria do Cuiabá não tem como costume trocar de comando técnico com frequência.

Após a demissão, vários boatos surgiram nas redes sociais. Um deles dizia que Alberto Valentim chegou a discutir rispidamente com o jogador Elton, precisando ser apartado pelos companheiros. Outro afirmava que o treinador atirou um copo no rosto do presidente do Cuiabá. O motivo da briga? Um suposto romance do técnico com a mulher do mandatário. À JP, o vice do clube classificou os rumores de “fake news”, chamando os responsáveis por inventar a notícia de “idiota”.  “O jornalismo sério tem que checar o fato. Então, existe algum fato quanto a isso? Vivemos a era de desinformação. Vimos uma chuva de fake news, onde o começo você acha engraçado, mas depois percebe que é lamentável. O cara que inventa isso é um idiota. E também é idiota quem divulga isso sem checar a fonte. Isso é lamentável e nós ficamos tristes por envolver pessoas que não tem nada a ver com a situação. A base do bom jornalismo é checar os fatos”, esbravejou.