1 a cada 4 brasileiros adultos está obeso, mostra IBGE

O problema é maior entre as mulheres: no período, a prevalência da obesidade feminina passou de 14,5% para 30,2%

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2020 06h18 - Atualizado em 22/10/2020 09h11
PixabayA pesquisa do IBGE também mostra qual o percentual da população que não é considerada obesa, mas que tem sobrepeso

Pelo menos um a cada quatro brasileiros adultos está obeso. É o que diz o resultado da Pesquisa Nacional de Saúde, divulgada nesta quarta-feira (21) pelo IBGE. Segundo os dados, entre 2003 e 2019, o número de pessoas obesas acima dos 20 anos de idade mais do que dobrou no país, passando de 12,2% para 26,8%. O problema é maior entre as mulheres: no período, a prevalência da obesidade feminina passou de 14,5% para 30,2%, enquanto a masculina subiu de 9,6% para 22,8%. O cálculo é baseado no Índice de Massa Corporal, o IMC, feito a partir relação entre peso e altura das pessoas.

Pedro Saddi, especialista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, explica que a obesidade está associada a diversas outras doenças, como diabetes, hipertensão, problemas respiratórios e até depressão. O endocrinologista destaca que, caso os índices continuem subindo no Brasil, o país pode alcançar níveis equivalentes ao dos Estados Unidos, líder na obesidade no mundo. “Todas essas doenças que podem estar associadas com a obesidade podem também aumentar conforme aumenta prevalência de obesidade. Isso nos coloca muito próximos perto de países como, por exemplo, os Estados Unidos.”

A pesquisa do IBGE também mostra qual o percentual da população que não é considerada obesa, mas que tem sobrepeso ou excesso de peso. Entre 2003 e 2019, a proporção de pessoas acima do peso com mais de 20 anos subiu de 43,3% para 61,7%. Mais uma vez, o aumento foi maior entre as mulheres, de 43,2% para 63,3%; já entre os homens, o número passou de 43,3% para 60%. O presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, Durval Ribas Filho, ressalta que o excesso de peso é o primeiro alerta para a prevenção da obesidade. “A partir do momento que você detecta que a pessoa está com excesso de peso corporal, ela tem que ser orientada e direcionada com orientação nutricional para aumento da atividade física e para que esteja certa que, se não se cuidar, vai desenvolver obesidade.”

Os especialistas destacam, ainda, que é importante ficar atento à alimentação e aos exercícios físicos sempre, mas principalmente durante o período de pandemia. Segundo os médicos, o isolamento, além de deixar as pessoas menos ativas, também faz com que fiquem mais ansiosas, o que abre as portas para uma alimentação mais descontrolada e menos saudável. Além das doenças que podem ser desencadeadas pela obesidade, vale lembrar que o ela também é um fator de risco para a Covid-19.

*Com informações da repórter Beatriz Manfredini