Acusado de crimes de guerra, comandante de guerrilha no Kosovo comparece a tribunal de Haia

A promotoria o acusa de assassinar um prisioneiro, tortura, detenção arbitrária e tratamento cruel a pelo menos seis civis

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2020 08h00 - Atualizado em 29/09/2020 09h43
ReproduçãoSalih Mustafa tem 48 anos e atuou durante a guerra no norte do país

O ex-comandante da guerrilha albanesa pró-independência, Salih Mustafa, compareceu ao Tribunal Especial de Haia, na Holanda, para ser julgado por crimes de guerra cometidos no Kosovo na década de 1990. A promotoria o acusa de assassinar um prisioneiro, tortura, detenção arbitrária e tratamento cruel a pelo menos seis civis em um centro de detenção em abril de 1999 em Zllash. Quando questionado pelo juiz Nicolas Guillou se queria se declarar culpado ou não, Mustafa respondeu. “Não vou depor hoje, vou consultar meu advogado.”

Salih Mustafa tem 48 anos e atuou durante a guerra no norte do país. Depois chefiou os serviços de inteligência das Forças de Segurança do Kosovo, um esquadrão armado que emergiu do UCK, quando foi desmilitarizado. O conflito terminou quando uma campanha de bombardeio ocidental forçou a retirada das tropas sérvias. Atualmente, Kosovo é reconhecido independente por dezenas de países, a maioria alinhados com o Ocidente.

*Com informações do repórter Daniel Lian