Alimentos registraram alta de 10% nos últimos 12 meses

Além das questões sazonais, os valores são reflexo da redução de oferta aos consumidores locais

  • Por Jovem Pan
  • 21/10/2020 07h59 - Atualizado em 21/10/2020 12h00
ANDRÉ PERA/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDOPara o coordenador do IPC da Fundação Getúlio Vargas, a inflação deve se aproximar de 3,5%

Nos últimos 12 meses, os alimentos tiveram alta de 10%. O coordenador do IPC da Fundação Getúlio Vargas, André Braz, coloca o segmento como responsável pela inflação do Brasil em 2020. “Os outros segmentos foram muito abalados pela pandemia e avançaram pouco. Alguns segmentos até promoveram descontos, como a parte de educação teve um desconto pela prática de ensino a distância. Mas outros segmentos tiveram um crescimento pequeno abaixo da inflação média, então o que vem chamando atenção no índice de Preço ao Consumidor em 2020 é um aumento no preço dos alimentos.”

Ao ser questionado sobre o controle da inflação, Braz avalia o cenário até o final do ano. “O que surpreende é que a expectativa para a inflação estava muito distante do piso da mesa, o piso é 2,5%. Lembrando que a meta de inflação para 2020 é 4% e a expectativa, até dois meses atrás, estava em uma inflação fechando o ano abaixo de 2,5%, em torno de 2%. Agora as estimativas atualizadas, nessa pressão toda, é que entre os alimentos ela se aproxime de 3% ou até avance um pouco mais a depender do comportamento dos próximos dois meses. Eu acredito que a inflação vai se aproximar de 3% ou 3,5%, algo imaginável há pouco tempo”, explica. Além das questões sazonais, os preços subiram em um reflexo do bom resultado das exportações brasileiras e redução da oferta aos consumidores locais.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos