Anvisa deve liberar segundo lote da CoronaVac nesta sexta-feira

União Química também realiza reuniões com órgão regulador na tentativa de liberar o imunizante

  • 22/01/2021 06h59
PAULO GUERETA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO - 07/01/2021Até o início da noite de ontem, segundo a Secretaria da Saúde, o Estado vacinou 50.661 mil pessoas contra Covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) irá realizar nesta sexta-feira, 22, uma reunião da diretoria colegiada para decidir sobre a liberação do uso emergencial de mais 4,8 milhões de doses da CoronaVac. O pedido foi feito pelo Instituto Butantan na segunda-feira, 18. No domingo, 17, o órgão liberou as primeiras 6 milhões de doses da CoronaVac que haviam chegado da China prontas para aplicação. Outros imunizantes também estão em discussão. A Anvisa realizou ontem reunião para troca de informações com o laboratório União Química, responsável pela vacina Sputnik V no Brasil.

O encontro faz parte da estratégia da Anvisa para autorizar os imunizantes no Brasil. A União Química informou que cumprirá todas as etapas regulatórias exigidas pela Anvisa para avançar com os estudos clínicos no Brasil e a autorização de uso emergencial. Hoje a empresa dará continuidade e apresentará novos documentos. Enquanto isso, a vacinação em São Paulo avança. Até o início da noite de ontem, segundo a Secretaria da Saúde, o Estado vacinou 50.661 mil pessoas contra Covid-19.

Também ontem o governo paulista concluiu a distribuição de vacinas para todas as regiões e entregou mais 145 mil vacinas do Butantan para outros 75 destinos. Em visita a Araraquara, nesta quinta-feira, o governador João Doria informou que a CoronaVac, em seu contrato, prevê a transferência total de tecnologia ao Instituto Butantan após essa primeira fase de envio de insumos. Na primeira fase serão vacinados apenas profissionais de saúde, idosos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência com mais de 18 anos vivendo em instituições de longa permanência, indígenas aldeados e quilombolas.

*Com informações do repórter Fernando Martins