Anvisa e Butantan alinham últimas pendências para uso da CoronaVac em crianças

Parecer final será votado em reunião extraordinária da diretoria da agência reguladora, que ainda não tem data para acontecer

  • Por Jovem Pan
  • 14/01/2022 06h40 - Atualizado em 14/01/2022 09h34
ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOPedido de uso emergencial está em análise pela gerência geral da Anvisa e o relatório será votado em reunião extraordinária da diretoria

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Instituto Butantan realizaram uma reunião para tratar sobre as últimas pendências para análise do pedido de uso da vacina CoronaVac em crianças e adolescentes de 3 a 17 anos. Segundo a agência reguladora, a avaliação entra na sua etapa final e está próxima da decisão. O encontro online contou com a participação de representantes de organizações médicas e científicas, além de técnicos da Anvisa e do instituto, pesquisadores do Chile do laboratório Sinovac, responsável pela produção do imunizante. Em dezembro, o Butantan pediu autorização para uso emergencial da vacina nos menores de idade. Neste semana, a agência solicitou dados adicionais sobre a efetividade do imunizante na faixa etária. Agora, pesquisadores vão produzir pareceres técnicos sobre os estudos feitos pelo governo chileno com a aplicação da vacina. O pedido de uso emergencial está em análise pela gerência geral da Anvisa e o relatório será votado em reunião extraordinária da diretoria da agência reguladora, que ainda não tem data para acontecer. No momento, apenas a vacina da Pfizer foi aprovada para uso em crianças de 5 a 11 anos.

*Com informações da repórter Katiuscia Sotomayor