Anvisa reforça pedido ao governo para restringir voos e exigir vacinação de viajantes

Após confirmação do terceiro caso da variante Ômicron em São Paulo, diretores da agência reguladora enviaram um ofício à Casa Civil com as recomendações

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2021 06h59 - Atualizado em 02/12/2021 11h24
EFE/EPA/REMKO DE WAALAgência reguladora pede que outros quatro países do sul da África sejam incluídos na lista de restrição

O governo de São Paulo confirmou nesta quarta-feira, 1, o terceiro caso da variante Ômicron no Estado. O diagnóstico positivo aconteceu em um homem de 29 anos, morador de Guarulhos, que desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos no dia 27 de novembro. Ele viajou com um teste negativo de Covid-19, mas ao chegar fez outro exame que positivou para a infecção pelo coronavírus. Com a confirmação, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) enviou à Casa Civil um ofício que reforça o pedido de inclusão de quatro países do sul da África na lista de voos temporariamente proibidos. No documento, que foi assinados pelos cinco diretores, também é recomendado que o governo federal adote a medida de exigir dos passageiros o comprovante da vacinação para entrar no país.

Atualmente, as fronteiras estão fechadas para África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. A Anvisa também recomenda incluir: Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia. Os Estados Unidos também vão reforçar restrições para a entrada de visitantes. Nesta quinta-feira, 2, o presidente Joe Biden deve detalhar a medidas, como a a obrigatoriedade do teste para a Covid-19 um dia antes do embarque. Hoje, o país exige que o exame tenha sido feito em até três dias antes da entrada em território norte-americano.

*Com informações da repórter Carolina Abelin