Apesar da recuperação, onda de desconfiança preocupa setor da construção

Alta no preço dos insumos e falta de mão de obra qualificada deixam investidores em alerta

  • Por Jovem Pan
  • 27/10/2021 10h13
Antônio Cruz/Agência BrasilPara os especialistas, o custo do material de construção tem limitado o crescimento do setor

A confiança dos empresários que investem na construção civil no país diminuiu. Em o índice de confiança chegou a 96,1%, enquanto, no mês de setembro, o otimismo estava em 96,4%, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Outro fator a ser levado em consideração na pesquisa é a falta de mão de obra qualificada. O diretor do Instituto de Engenharia de São Paulo, Rafael Timerman, acredita que é hora de um entendimento político e econômico para acalmar o setor da construção civil no país. “Olha, o melhor ambiente possível para nós seria realmente um ambiente tranquilo de negócios. Na verdade, qualquer empresário brasileiro, o que ele vislumbra, é realmente ter uma segurança não apenas jurídica, mas financeira para poder investir no Brasil. Só vamos ter isso quando tivermos uma calmaria entre os poderes, entre os setores, entre os governos.”

Para os especialistas, o custo do material de construção tem limitado o crescimento do setor e variação do câmbio tem participação direta nos insumos. Com isso, o otimismo do empresários anda meio que “esfriando” diante desse cenário econômico do país. A confiança das empresas que fazem a preparação de terrenos para grandes construções também caiu. Mesmo assim, os novos projetos já lançados no mercado nacional serão executados, como explica Timerman.

“Então, todo o empresariado tem uma incerteza do que está acontecendo e, obviamente, para investir, a gente precisa ter certeza, precisamos ter assertividade no nosso investimento”, pontua. A alta dos combustíveis tem reduzido o número de operações na construção civil e os insumos que mais influenciaram na queda dos investimentos foram vergalhões e arames de aço de carbono, os tubos e conexões de ferro e aço, tubos e conexões de PVC. Todos esses materiais são influenciados pela taxação do câmbio.

*Com informações do repórter Maicon Mendes