Apoio total do bloco de Maia à candidatura de Baleia Rossi é um ‘blefe’, diz Júlio Delgado

Segundo o deputado, não há diferença entre Rossi e Arthur Lira, candidato à presidência da Câmara apoiado pelo governo Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 24/12/2020 10h43 - Atualizado em 24/12/2020 13h59
Lucio Bernardo Junior/Câmara dos DeputadosO deputado Júlio Delgado (PSB) afirmou que seu nome está disponível para discussão

O deputado Júlio Delgado (PSB) afirmou que ainda não há consenso no PSB sobre o apoio à candidatura de Baleia Rossi (MDB) à presidência da Câmara dos DeputadosRodrigo Maia anunciou na tarde de quarta, 23, que Baleia foi o candidato escolhido pelo seu bloco, que reúne 11 partidos, para disputar o comando da Câmara com Arthur Lira (PP), apoiado pelo base do presidente Jair Bolsonaro na Casa. Além dos partidos de centro e centro-direita, como DEM, MDB, PSDB, PSL, Cidadania e PV, passaram a integrar o grupo do parlamentar os partidos de esquerda, como PT, PCdoB, PDT, Rede e PSB. Segundo Delgado, o PSB não faz parte do assunto da maneira que foi colocada por Maia. “O partido teve uma reunião do diretório, que recomendou a que nós não apoiássemos um candidato do campo do Bolsonaro, e a gente não vê agora a distinção entre esses dois nomes”, disse Delgado em referência a Baleia e Lira. “Analisando as votações do Baleia Rossi e do próprio Arthur, você vê que os dois apoiam o governo e, certa forma, o Baleia apoia até mais. É importante quando o Baleia diz que quer fazer um Congresso livre, mas os seus senadores querem o apoio do governo Bolsonaro no Senado”, criticou o deputado em entrevista ao Jornal da Manhã nesta quarta-feira, 24.

Segundo relatou Delgado, o PT e o PSOL pediram um discurso de Baleia que confirmasse que o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 2016 foi um golpe. “Nós temos uma discussão maior e diferenciada do que PSOL e PT. Nós não vemos distinção entre uma candidatura e outra, são ambos do Centrão”, alegou. “Eu queria saber se o presidente Rodrigo Maia, que está propondo essa articulação entre esses 11 partido, estaria fazendo isso se fosse ele o candidato, porque quando ele precisou do apoio do Bolsonaro há dois anos atrás, ele foi buscar apoio dos partidos de base do governo e governou com o Bolsonaro. Agora ele diz que tem uma união desses 11 partidos, mas, hoje, essa união não existe. No PSB, ela não existe, não houve deliberação da bancada sobre esse assunto. Há um blefe nesse momento”, alegou. Em seguida, o PSBista afirmou que essa eleição não é contra Bolsonaro de 2022, é contra o governo. “Nós queremos colocar um candidato verdadeiramente de oposição no nosso campo para distinguir essas ideias na política, nas ações da casa, no funcionamento da casa, não é pensando em 2022. Em 2022, com certeza, nós vamos estar do lado contrário desses que agora estão colocando uma Câmara livre, mas que no Senado estão lá efetivamente no governo do Bolsonaro”, disse Delgado, que informou que seu nome está disponível para discussão.