Após estupro em parto, Castro quer criar protocolos de segurança em hospitais

Mais de 30 mulheres podem ter sido vítimas dos abusos sexuais cometidos pelo anestesista

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2022 08h14 - Atualizado em 15/07/2022 09h28
Daniel Resende / Enquadrar / Estadão Conteúdo - 30/05/2021 Cláudio Castro, governador do Rio, dá entrevista coletiva usando uma máscara escura O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, visitou hospital na Baixada Fluminense

Nesta quinta-feira, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, visitou o Hospital da Mulher Heloneida Studart, na Baixada Fluminense, e conversou com funcionários e diretores sobre o caso do anestesista que estuprou uma paciente durante o parto. Mais de 30 mulheres podem ter sido vítimas dos abusos sexuais cometidos pelo anestesista Giovanni Quintella Bezerra, de 32 anos, que foi detido em flagrante no último domingo, 10. As autoridades atualmente apuram seis casos suspeitos, mas como o médico trabalhou em pelo menos 10 unidades de saúde públicas e privadas, um levantamento minucioso está sendo feito pela polícia fluminense.

Na visita ao hospital, Castro prestou solidariedade às famílias das vítimas, anunciou a mudança de protocolos de segurança dentro das unidades de saúde e classificou a atitude do médico como uma “monstruosidade”. “Isso é coisa de um monstro. Que isso sirva como exemplo para que a gente possa aprimorar a segurança para que nenhum cidadão que venha a um hospital público ou privado passe novamente por isso”, declarou o governador. Também nesta quinta-feira, uma potencial vítima do anestesista prestou depoimento na delegacia de São João de Meriti.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga