Aras diz que convocação de subprocuradora à CPI da Covid-19 é ‘afronta’

PGR enviou ofício à comissão; Lindora Araújo é responsável por conduzir investigações relacionadas aos desvios de recursos públicos nos Estados

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2021 10h51 - Atualizado em 14/05/2021 18h01
Marcelo Camargo/Agência BrasilEm ofício enviado ao Senado Federal, o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse que convocação de Lindora Araújo à CPI da Covid-19 seria uma 'afronta ao Ministério Público'

Em ofício enviado ao Senado Federal, o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse que convocação de Lindora Araújo à CPI da Covid-19 seria uma “afronta ao Ministério Público”. A subprocuradora é responsável por conduzir investigações relacionadas a desvio de recursos públicos nos Estados. O relator da Comissão Parlamentar de Inquérito, Renan Calheiros, comunicou aos parlamentares sobre o ofício recebido e fez críticas. “Se a Lindora for convocada, será uma afronta ao Ministério Público sem precedentes na história do Brasil. O Supremo, membros do Ministério Público, juízes serem convocados a prestarem depoimentos sobre atividade-fim não pode. Nós nos comprometemos de outra forma, mas isso não pode ser feito. Senhores, senhoras, nós temos competência que é constitucional”, afirmou Renan, argumentando que as investigações têm de ser feitas até os limites constitucionais.

Autor do requerimento para convocar a subprocuradora, Eduardo Girão, rebateu o relator. “Não existe em nenhum local dizendo na Constituição que não pode vir. Não tem precedentes, mas essa CPI da forma que ela começou, conflito de interesse flagrante do senhor com relação ao filho. Se a gente não for olhar para gestores municipais e estaduais, se a gente não fizer esse trabalho aqui que já caiu no descrédito do povo brasileiro, já fica totalmente sem sentido”, disse. Senador da base governista, Eduardo Girão vem defendendo a investigação dos repasses federais a Estados e municípios.

*Com informações da repórter Nanny Cox