Assistência técnica de eletrônicos ganha impulso na pandemia e gera empregos

Rede de lojas recebeu 25 milhões de celulares no ano passado para manutenção

  • Por Jovem Pan
  • 03/01/2022 08h11 - Atualizado em 03/01/2022 10h40
Pixabay pessoa segurando o celular com o carregador Problemas mais comuns costumam ter um custo beneficio bem mais favorável ao conserto do que a compra de um novo

O mercado de assistência técnica de eletrônicos cresceu na pandemia. Com os equipamentos ocupando cada vez mais espaço na rotina dos brasileiros, muitas pessoas estão optando por garantir a manutenção dos equipamentos mais antigos para prolongar a vida dos objetos. Com isso, a demanda por consertos, especialmente de celular, está exigindo profissionais capacitados e gerando empregos. O empresário Tiago Óliver viu o mercado em ascensão e há seis meses resolveu largar o emprego de segurança de shopping e abrir uma assistência junto com um amigo. Eles se especializaram e o número de clientes só aumenta. “Com o momento de crise que estamos vivendo, o pessoal não tem como descartar celular e buscam conserto. Então cada dia mais a procura vem crescendo”, conta.

A Michelle Menhem é CEO de uma rede de assistência técnica de São Paulo. Ela relata que a demanda aumentou muito, com 25 milhões de celulares recebidos para conserto apenas em 2021. Michelle desmistifica a ideia de que os dispositivos sejam feitos para durar pouco. “Todos os aparelhos, independente do erro que vai dar ou do motivo, se quebrou tela, frontal ou vidro, smartwatch, fones de ouvido, tudo tem manutenção, tudo tem conserto desde que seja levado em um local onde as pessoas tenham capacitação para fazer o reparo da maneira correta”, pontua. Problemas mais comuns, como troca de tela e de bateria, por exemplo, costumam ter um custo beneficio bem mais favorável ao conserto do que a compra de um novo.

*Com informações da repórter Carolina Abelin