Associações de comércio criticam falta de apoio do governo e pedem isenção de impostos

Informe publicado por entidades comerciais afirmou que setor público é responsável por ‘desemprego e quebradeira de empresas’ no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2021 11h55
EFE/ Antonio LacerdaComércios ficaram fechados em todo o país

Associações do comércio de todo o Brasil criticam a falta de apoio do governo durante a pandemia e pedem a isenção de impostos. As entidades afirmam que o “abre e fecha” do comércio, as restrições no horário de funcionamento e a necessidade de pagar integralmente os impostos faz com que muitos negócios não resistam e fechem as portas. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas tiveram uma queda de 0,6% em março e o setor encerrou o 1º trimestre no vermelho. Na sexta-feira, 7, associações e entidades comerciais publicaram nos principais jornais do país um informe com o título “Meio Aberto, Meio Quebrado”. No documento, elas afirmam que precisam voltar a operar plenamente e ressaltam que “a responsabilidade pelo desemprego e quebradeira de empresas é do setor público.” Em 2020 foram criados programas para conter os efeitos econômicos da pandemia, mas muitos deixaram de valer no final do ano. Agora, o Governo Federal tem reeditado algumas medidas. O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda já foi relançado no final de abril. A expectativa agora gira em torno do relançamento do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Até a virada do ano, foram três rodadas que concederam R$ 37,5 bilhões em crédito a 517 mil empresários.

*Com informações da repórter Letícia Santini