Bia Kicis deve ser confirmada na CCJ da Câmara; Aécio assume Relações Exteriores

PSL também deve comandar as comissões de Agricultura, Direitos da Mulher e de Meio Ambiente

  • Por Jovem Pan
  • 10/03/2021 06h34
Michel Jesus/Agência CâmaraAliada de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro, Bia Kicis encontrou forte resistência em partidos de centro e de oposição

A deputada Bia Kicis (PSL) deve ser confirmada nesta quarta-feira, 10, como a presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Colegiado mais cobiçado da Casa, a CCJ tem previsão de ser instalada hoje pela manhã, assim como outras nove comissões temáticas. A instalação das demais está prevista para quarta e quinta-feira — dias 11 e 12 de março. Aliada de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro, Bia Kicis encontrou forte resistência em partidos de centro e de oposição quando teve o nome ventilado. Ela é investigada no inquérito dos atos antidemocráticos, do Supremo Tribunal Federal. Mas após conversas com líderes e com o presidente da Câmara, Arthur Lira, as objeções diminuíram.

O PSL também deve comandar as comissões de Agricultura, Direitos da Mulher e de Meio Ambiente, que deve ser presidida pela deputada Carla Zambelli. Já o PT vai presidir três comissões — a principal delas é a de Direitos Humanos. Outra comissão cobiçada, a de Educação, será comandada pela deputada Professora Dorinha (DEM) que foi relatora da PEC do novo Fundeb. A princípio, as comissões devem funcionar de forma não-presencial. Foi o que definiu o presidente da Casa, Arthur Lira. “A partir de amanhã eleições para as comissões, para um funcionamento mesmo que remoto. A eleição também será virtual, para que todos os partidos tenham suas comissões temáticas resolvidas e matérias como algumas reformas e temas importantes possam andar em um ritmo normal da Casa a partir de escolhas de amanhã.”

O objetivo do governo é aprovar a proposta nesta semana e sem mudar o texto que chegou do Senado, para logo depois ser promulgado pelo presidente do Congresso Nacional. O vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos (PL) tem a mesma visão, para que as novas parcelas do auxílio comecem a ser pagas ainda em março. Quem está voltando aos holofotes da cena política é o deputado Aécio Neves (PSDB), que deve comandar a comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. Antes, ela era presidida pelo deputado Eduardo Bolsonaro. O PSL queria manter o controle sobre o colegiado, mas perdeu a disputa para o PSDB. Aécio é próximo de Arthur Lira e ajudou o presidente da Câmara a conquistar votos da bancada tucana.

*Com informações do repórter Levy Guimarães