Bolsonaro: agentes de segurança merecem ‘melhor assistência do governo’

Presidente fez questão de dizer que fará o que puder para ajudar no trabalho da Polícia Rodoviária Federal

  • Por Jovem Pan
  • 25/07/2020 08h54
Marcos Corrêa/PRBolsonaro, que está isolado e em tratamento para a Covid-19, participou por videoconferência

O presidente Jair Bolsonaro diz que a estrutura do governo federal está à disposição para facilitar o dia-a-dia dos agentes de segurança pública do país. A fala aconteceu durante a cerimônia de comemoração dos 92 anos da Polícia Rodoviária Federal, realizada em Brasília nesta sexta-feira, 24. Bolsonaro, que está isolado e em tratamento para a Covid-19, participou do evento por videoconferência. No discurso, ele reconheceu que, pelo trabalho que desempenham, os agentes mereciam uma assistência maior do Estado do que têm atualmente.

O presidente fez questão de dizer, no entanto, que fará o que puder para ajudar no trabalho da PRF. “Da minha parte, do que depender de decretos, do André [Mendonça], o que depender de portarias, bem como do ágio do nosso diretor-geral, estamos à disposição de toda a corporação para fazer com mais meios, de forma mais ágil e sem burocracia, para que vocês possam cumprir o seu objetivo”, afirmou.

O ministro da Justiça, André Mendonça, que é o responsável pela PRF, também participou da cerimônia por videoconferência. Ele destacou que a corporação nunca foi tão valorizada quanto é no atual pelo governo, e lembrou da importância da Polícia Rodoviária Federal para o país. “A grande verdade é que nós vivemos, salvo ilhas isoladas, um estado de verdadeira guerra civil, onde a importância das forças de segurança pública ganham notoriedade para a garantia do próprio estado democrático de direito”, disse.

É bom lembrar que reestruturação das carreiras da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal, a contratação de novos policiais e o aumento para a segurança do Distrito Federal atrasaram a sanção do projeto de socorro aos estados e municípios durante a pandemia. Isso porque o presidente vetou a possibilidade de que servidores públicos federais recebam aumento salarial até o fim do ano que vem, mas, antes, precisava cumprir o compromisso assumido com essas categorias. Foi só após garantir o aumento e a contratação dos novos agentes que Bolsonaro liberou os repasses aos entes federados.

* Com informações do repórter Antônio Maldonado