Bolsonaro admite desafio de conter fogo no pantanal

Segundo ele, os focos de incêndio são maiores do que os registrados no ano passado

  • 21/08/2020 06h09 - Atualizado em 21/08/2020 08h31
Chico Ribeiro / Governo MSO presidente lembrou que muitos dos incêndios também começam de forma criminosa

O presidente Jair Bolsonaro admitiu na quinta-feira, 20, preocupação com o fogo que atinge o Pantanal. Segundo ele, os focos de incêndio são maiores do que os registrados no ano passado. O presidente reconhece dificuldades por conta da extensa área que é ocupada pelo Pantanal. Bolsonaro explicou que é como se a gente unisse quatro estados, Rio de Janeiro, Sergipe, Rio Grande do Norte e Alagoas. Até por conta disto, segundo ele, o problema não é fácil de resolver. Segundo o ministério do Meio Ambiente, outro fator que tem prejudicado o controle dos incêndios é justamente a legislação. De acordo com o presidente, atualmente, é proibido o uso preventivo do fogo. Ele próprio admitiu que se assustou com imagens mostrando pessoas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) colocando fogo na vegetação na beira das pistas. Mas afirmou que isso tem como objetivo frear a chega das queimada. O presidente lembrou que muitos dos incêndios também começam de forma criminosa.

Em meio aos problemas enfrentados pela população do Pantanal por conta do fogo, uma frente fria extrema se aproxima do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e norte do país. Preocupada com a situação das populações mais vulneráveis, principalmente naquelas regiões em que a população não está acostumada a frios extremos, a primeira dama Michele Bolsonaro anunciou a coleta de roupas, agasalhos e cobertores para doação. Ao mesmo tempo, a Defesa Civil está disponibilizando abrigo para a população em situação de rua. O presidente elogiou a iniciativa e deixou claro que essa é uma ação de Michele, ressaltando que a iniciativa é super importante e merece atenção de todos.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin