Câmara do Guarujá avança na análise de impeachment do prefeito Válter Suman, do PSDB

Tucano e o secretário de Educação do município, Marcelo Nicolau, são investigados por envolvimento em desvio de verbas da saúde

  • Por Jovem Pan
  • 02/11/2021 08h43 - Atualizado em 02/11/2021 09h00
Reprodução / Facebook Válter SumanJustiça Federal concedeu liberdade provisória para Válter Suman e Marcelo Nicolau dois dias após a prisão

A Câmara do Guarujá ouvirá nesta quarta-feira, 3, o autor do pedido de impeachment do prefeito Válter Suman. O tucano foi preso junto com o secretário da Educação, Marcelo Nicolau, em uma operação da Polícia Federal no dia 15 de setembro. Ambos são investigados por envolvimento em desvio de verbas da saúde. O presidente do diretório municipal do PDT, o engenheiro José Manoel Gonçalves, apresentou requerimento à Comissão Processante para que o inquérito seja anexado ao seu pedido de impeachment. “A coisa é muito grave e levou a prisão do prefeito, prisão em flagrante. Nós precisamos, de alguma forma, mostrar para a opinião pública de Guarujá e de toda a Baixada Santista, que a cidade não merece um destino tão trágico”, disse.

A Justiça Federal concedeu liberdade provisória para Válter Suman e Marcelo Nicolau dois dias após a prisão. O desembargador Maurício Yukikazu Kato sustenta que foram encontrados R$ 1,7 milhão em quatro endereços vinculados aos envolvidos e 300 joias na residência do prefeito. O desembargador também destaca a existência de crime de lavagem de dinheiro, com a possível participação do chefe do Executivo e do secretário, mas considera que a privação da liberdade se mostra excessiva. Suman prestará depoimento à comissão processante da Câmara do Guarujá no dia 11 de novembro.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos