Chefe da Polícia chilena renuncia após policiais balearem dois menores

Mario Rozas renunciou após incidente em uma residência do Serviço Nacional de Menores, responsável por crianças e adolescentes infratores

  • Por Jovem Pan
  • 20/11/2020 06h43 - Atualizado em 20/11/2020 11h36
FE/Alberto ValdésO caso gerou novos protestos no país; Mario Rozas será substituido pelo general Ricardo Yáñez, que deverá promover uma reforma na instituição

O chefe da polícia chilena, Mario Rozas, renunciou após incidente em uma residência do Serviço Nacional de Menores, responsável por crianças e adolescentes infratores, no sul do país. Agentes policiais balearam na perna dois menores, de 14 e 17 anos, após serem chamados para controlar um menino que estava “desequilibrado”. De acordo com a versão policial, os agentes abriram fogo após serem atacados com pedras e paus. O presidente, Sebástian Piñera, aceitou a renúncia e expressou apreço e gratidão pelo trabalho realizado enquanto o Rozas liderou a Carabineiros do Chile. Segundo Piñera, o ex-diretor geral serviu o país no que ele chamou de “um momento extraordinariamente difícil e complexo”.

O caso gerou novos protestos nesta quinta-feira, 19. O comando policial também foi questionado no ano passado, depois que milhares de chilenos ficaram feridos durante manifestações em massa. Cerca de 30 pessoas morreram e milhares ficaram feridas. Rozas negou que os abusos tenham sido sistemáticos ou tolerados pela corporação, alegando que se trataram de ações isoladas por parte das tropas. Mario Rozas será substituído pelo general Ricardo Yáñez, que deverá promover uma reforma na instituição.

*Com informações da repórter Lívia Fernanda