Com 70% dos leitos de UTI ocupados, Grande São Paulo entra em alerta

Após aumento de casos, mortes e internações pela Covid-19, o governo estadual pode anunciar novas restrições para a região ainda nesta semana

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2021 06h24 - Atualizado em 19/01/2021 06h26
EFE/EPA/JUSTIN LANE/ArchivoAo todo, mais de seis mil pessoas estão internadas em leitos de UTI no estado

Após atingir 70% de ocupação de leitos de terapia intensiva para pacientes graves com a Covid-19, a Grande São Paulo está em alerta. O governo estadual monitora a situação e pode anunciar a reclassificação da região para a fase laranja do Plano São Paulo até a próxima sexta-feira, 22. Ao todo, mais de seis mil pessoas estão internadas em leitos de UTI no estado, mil a mais do que o observado na semana passada. A segunda semana de 2021 registrou o pior índice de novos casos desde o início da pandemia com 11.300 contaminações no período. Nos primeiros 15 dias do ano, houve aumento de 77% no número de casos, 59% nos óbitos e 28% no número de internações.

O secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse que os registros recentes já superam o pico da pandemia. “Essa foi a pior semana epidemiológica na história da pandemia no Estado de São Paulo. Algumas das regiões já tiveram os seus hospitais atingindo a marca de 100%, o que nós conseguimos redimencionar esses pacientes para outros hospitais da região. Agora, até quando conseguiremos isso? Não podemos apenas ampliar leitos, precisamos também diminuir a circulação de doença  na nossa população”, disse.

Após observar um lapso de até três meses entre a solicitação de São Paulo e a habilitação de leitos de UTI pelo Ministério da Saúde, o Ministério Público Federal entrou com uma ação para que a União torne o processo mais ágil e tranparente. No pedido, o órgão cita ainda discrepância de tratamento entre municípios, pedindo que o governo federal atenda os locais de acordo com a situação, e não na ordem cronológica.

*Com informações da repórter Nanny Cox