Com aumento de casos por Covid-19, Boris Johnson tenta evitar lockdown no Reino Unido

O Reino Unido registrou mais de 7 mil novos casos de Covid-19 em apenas um dia, de novo, nesta quarta

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 01/10/2020 08h51 - Atualizado em 01/10/2020 09h30
EFE/Sebastião MoreiraAquela recomendação dada pela OMS no início da pandemia ainda é crucial: testar, testar e testar para tentar isolar o vírus

O aumento contínuo de casos de Covid-19 na Europa também está mobilizando os líderes do continente. Boris Johnson e Angela Merkel fizeram ontem apelos para que as populações cooperem numa tentativa de evitar novas quarentenas. Em Londres, o primeiro-ministro voltou a conceder uma entrevista coletiva reconhecendo que a situação está se deteriorando rapidamente. O Reino Unido registrou mais de 7 mil novos casos de Covid-19 em apenas um dia, de novo, nesta quarta-feira. Outras 71 mortes pela doença também foram registradas confirmando a tendência de agravamento da situação.

Johnson, que está sendo cobrado pela falta de liderança neste momento de crise, afirmou que seu gabinete está preparando o país para o inverno. Segundo o conservador, o Reino Unido será capaz de testar até 500 mil pessoas por dia no final deste mês. Aquela recomendação dada pela OMS no início da pandemia ainda é crucial: testar, testar e testar para tentar isolar o vírus. O primeiro-ministro ressaltou que o país está em um momento crítico e o esforço é para evitar um novo lockdown generalizado pedindo para as pessoas ficarem em casa — mas não descartou a medida, caso um novo esforço coletivo dessa magnitude se faça necessário diante do crescimento dos casos. “Tenho que deixar claro que, se as evidência exigirem, não hesitaremos em tomar outras medidas que seriam, infelizmente, mais custosas do que as que implementamos agora. Mas se trabalharmos juntos agora, daremos a nós mesmos a melhor chance possível de evitar esse resultado e evitar medidas mais duras”, disse ele.

A chanceler alemã, Angela Merkel, também adotou tom parecido ontem ao discursar no parlamento em Berlim. A líder conservadora insistiu que está fazendo o possível para evitar um novo lockdown. Ressaltou que também espera um retorno para a normalidade e que entende a ansiedade dos mais jovens. Porém, Merkel alertou que a população pode estar colocando os esforços dos últimos meses em risco caso não se mantenha em alerta. Hoje a Alemanha tem, mais ou menos, 2 mil novos casos de Covid-19 por dia. Mas a chanceler afirma que, numa previsão pessimista, o país possa chegar aos 20 mil casos diários até o Natal se a situação continuar se deteriorando. Ontem também o senado da Itália suspendeu todas as atividades parlamentares depois que dois membros do Movimento 5 estrelas ficaram doentes.