Com novas restrições em São Paulo, vendas do varejo recuam no mês de janeiro

Segundo a Associação Comercial de São Paulo, balanço prévio indica uma diminuição de quase 8% na comparação com o mesmo período do ano passado

  • Por Jovem Pan
  • 28/01/2021 07h12 - Atualizado em 28/01/2021 10h04
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO/O fim do auxílio emergencial e a alta da inflação de produtos de primeira necessidade também colaboraram para o resultado negativo

A fase vermelha imposta a algumas cidades paulistas foi um dos fatores que levou à queda das vendas na primeira quinzena de janeiro. Segundo a Associação Comercial de São Paulo, o balanço prévio indica uma diminuição de quase 8% na comparação com o mesmo período do ano passado. O fim do auxílio emergencial e a alta da inflação de produtos de primeira necessidade também colaboraram para esse resultado, explica o economista da associação Ulisses Gamboa. “A gente já estava observando que haveria queda no poder aquisitivo do consumidor, tanto por causa do auxílio emergencial, quanto pela aceleração da inflação. Mas esse fechamento, essa aplicação de fase vermelha de uma hora pra outra contribuiu para provocar essa queda.”

Por isso, Ulisses Gamboa acredita que os números não serão melhores quando o balanço de todo o mês de janeiro for fechado. “O comércio está sendo penalizado, sem que haja realmente nenhum estudo, nenhuma evidência de que o comércio esteja contribuindo para proliferação, contágio, o que está acontecendo com a pandemia”, avaliou. De acordo com o economista, nem a Sampa Week, que é uma semana de promoções apoiada pela secretaria municipal de turismo da capital, deve ajudar o setor neste mês. O evento teve início no dia 23 e termina no dia 31 de janeiro.

*Com informações da repórter Nicole Fusco