Comitê científico da Prefeitura do Rio sugere fechamento de escolas e praias

Nos últimos 10 dias, foram mais de 23 mil novos casos de Covid-19 no Estado do RJ

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2020 08h27
EFE/Antonio LacerdaA fila de espera por internação já tem quase 500 pessoas -- cerca de 10x mais do tamanho do que era a fila em outubro

O Comitê Cientifico da Prefeitura do Rio de Janeiro, formado por especialistas na área da saúde, está defendendo uma imediata adoção de medidas de restrição para tentar segurar a segunda onda da Covid-19 na cidade, que está levando hospitais ao colapso. A Prefeitura agora vai consultar o governo do Estado, que tem resistido por temer impactos sobre a economia — ainda mais em dezembro, marcado pelas festas de final de ano. A recomendação já tinha sido feita por médicos e especialistas da UFRJ. Agora, essas sugestões foram reforçadas pelo Comitê Técnico. A proposta é fechar praias, escolas e reduzir o horário de funcionamento de bares e restaurantes para evitar aglomerações de pessoas.

A situação na rede de saúde beira o caos. Até na rede privada, a taxa de ocupação está no limite — em 96%. As taxas na rede SUS e nada rede municipal também estão perto dos 100%. Nos últimos 10 dias, foram mais de 23 mil novos casos de Covid-19 no Rio de Janeiro. A fila de espera por internação já tem quase 500 pessoas — cerca de 10x mais do tamanho do que era a fila em outubro. Para a pesquisadora da UFRJ, Cristina Barros, é urgente recuar na flexibilização e adotar medidas de restrição para proteger a população carioca e fluminense. Nesta quarta-feira, 2, foram confirmadas no Estado mais 81 mortes por Covid-19 e mais de 3 mil casos. O Estado tem 22.764 óbitos confirmados e 361.397 pessoas infectadas. A prometida testagem em massa da população, que ia começar nesta quinta, 3, ficou para sexta, 4, e será feita em apenas três hospitais do Estado. Para que a pessoa faça um teste, será preciso agendamento prévio em um aplicativo.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga