Concessionárias reclamam de alta do ICMS para venda de veículos usados em SP

Estado aumentou a alíquota para os modelos de 1,8% para 5,33%, o que representa reajuste de 207%

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2021 10h31 - Atualizado em 25/02/2021 12h57
Fábio Vieira/Estadão ConteúdoSão Paulo tem 1.700 concessionárias de veículos, setor que gera 70 mil empregos diretos

O Estado de São Paulo tem 1.700 concessionárias de veículos, setor que gera 70 mil empregos diretos. Desde janeiro de 2021, o Estado aumentou a alíquota de ICMS para os modelos usados, de 1,8% para 5,33%, um reajuste de 207%, que gera insatisfação no segmento. O vice-presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Luiz Carlos Bianchini, ressalta que o Estado ficaria, atualmente, com mais de 55% da negociação do usado, fora os outros impostos federais e custos administrativos. “Até que vinha um imposto, lá na época do Alckmin, por exemplo, era 0,9%. Quando o Doria assumiu, ele já pegou majorado em 100%, foi 1,8%. Conseguimos absorver isso dentro dos nossos negócios sem passar para o consumidor. Nessa alíquota passada para 5,33% não tem jeito. Ficou difícil, você tem que passar isso para alguém e acaba sobrando para o consumidor”, disse. Luiz Carlos Bianchini reforça que os usados normalmente entram nos negócios e a margem de lucro dos setor gira em torno de 10%, e repassar simplesmente ao consumidor já gera impacto negativo nas vendas no Estado.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos