Conselho de Ética da Câmara analisa nesta terça-feira caso da deputada Flordelis

A parlamentar é acusada de ser mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo

  • Por Jovem Pan
  • 22/02/2021 05h43 - Atualizado em 22/02/2021 05h44
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDOO inquérito sobre o assassinato de Anderson do Carmo está a cargo da polícia civil do Rio de Janeiro, e a Justiça já aceitou a denúncia contra a deputada

A primeira sessão de análise do caso Flordelis (PSD-RJ) no Conselho de Ética da Câmara dos deputados está marcada para esta terça-feira. 23. A deputada federal é acusada de ser mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo. O presidente do colegiado, Juscelino Filho, atendeu ao pedido do Corregedor da Câmara, Paulo Bengtson, que entregou um parecer recomendando a abertura do processo. O inquérito sobre o assassinato de Anderson do Carmo está a cargo da polícia civil do Rio de Janeiro, e a Justiça já aceitou a denúncia contra a deputada.

Como prova do crime, o Ministério Público carioca anexou mensagens de textos atribuídas a Flordelis que reforçam a suspeita de que a parlamentar planejou a morte do marido. Anderson do Carmo foi assassinado em 16 de junho de 2019, com mais de trinta tiros. Uma neta e seis dos 55 filhos de Flordelis, estão presos aguardando julgamento.  Além do caso Flordelis, o Conselho de Ética da Câmara deve analisar duas representações contra o deputado Daniel Silveira, preso após postar um vídeo com ameaças a ministros do Supremo Tribunal Federal. Na pauta, há também três representações contra o deputado Eduardo Bolsonaro, que usou as redes sociais para exaltar o período da ditadura militar.

*Com informações do repórter Vinicius Nunes