Covid-19 afeta testículos, reduz hormônios e a qualidade dos espermatozoides, diz estudo

Principais preocupações envolvem adolescentes e pessoas em idade reprodutiva, já que não há confirmações se as sequelas são transitórias, longas ou permanentes

  • Por Jovem Pan
  • 06/09/2021 07h10 - Atualizado em 06/09/2021 10h33
MATEUS BONOMI/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOCom o estudo, foi possível observar que os resultados de exames de fertilidade e hormônios destes pacientes apresentaram alterações

Um estudo da Universidade de São Paulo (USP) acompanha, desde o início do ano passado, homens que tiveram diagnóstico positivo para a Covid-19. Com isso, foi possível observar que os resultados de exames de fertilidade e hormônios destes pacientes apresentaram alterações mesmo meses depois de se curarem da doença. Embora o teste seja inicial, o espermograma de vários pacientes apontam que a capacidade de mobilidade dos espermatozoides se moverem e fecundarem o óvulo caiu de acima de 50% para algo entre 8% e 12%, com esse patamar se mantendo quase um ano depois da infecção pelo coronavírus. Em relação aos hormônios, foi possível apontar que os níveis de testosterona de muitos dos pacientes também caíram. O índice habitual é de 300 a 500 nanogramas por decilitro de sangue, enquanto nos pacientes que tiveram a doença registram taxas abaixo de 200, chegando a patamares entre 70 e 80 nanogramas.

Os estudos são feitos pelo andrologista Jorge Hallak, professor da Faculdade de Medicina da USP e coordenador do Grupo de Estudos em Saúde do Homem da universidade. Alguns testes são feitos em colaboração com o departamento de patologia da faculdade e foram publicados na revista Andrology, em parceria com a Fapesp. As principais preocupações dos pesquisadores estão sobre homens em idade reprodutiva e adolescentes, pois não se sabe se a situação é transitória, longa ou permanente.

*Com informações do repórter Fernando Martins