Após final de semana de praias lotadas, Crivella autoriza reabertura de museus e parques

Ao mesmo tempo, o Rio de Janeiro registra crescimento na média móvel semanal de óbitos pela Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2020 09h42 - Atualizado em 01/09/2020 09h44
Saulo Angelo/Estadão ConteúdoA preocupação segundo o prefeito Marcelo Crivella continua sendo a aglomeração vista nos bares e, princialmente, nas praias e orla da cidade

A prefeitura do Rio de Janeiro decidiu flexibilizar mais atividades na capital fluminense. Podem voltar a funcionar a partir desta terça-feira, 1º, parques de diversão, casas de festa infantil, galerias de artes, museus e também outras atividades culturais. No entanto, cinemas e teatros ficam fechados até segunda ordem. Esta é a sexta fase “A” do programa de reabertura das atividades econômicas na cidade do Rio de Janeiro. A sexta fase “B” só está prevista para entrar em vigor a partir de outubro. A preocupação segundo o prefeito Marcelo Crivella continua sendo a aglomeração vista nos bares e, princialmente, nas praias e orla da cidade.

“Agora quando a a gente faz aglomeração sem máscara, que é o caso dos bares e também das praias, nós colocamos em risco tudo que conquistamos até agora. Pedimos que as pessoas obedeçam, que tenham paciência. Quando tivermos a vacina voltaremos ao normal”, afirmou. A nova fase de flexibilização acontece em um momento em que o Rio de Janeiro registrou crescimento média móvel semanal de óbitos na Covid-19. No entanto, segundo a secretarial estadual de saúde e a secretaria municipal de saúde, não se trata de uma nova onda da doença. Esse crescimento na média móvel teria acontecido, segundo as autoridades, em função de uma nova metodologia adotada pelo ministério da Saúde e tem relação com uma maior testagem da população.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga