De presídio, vereador suspeito de assalto toma posse online na Paraíba

Entre outras posses inusitadas está a do prefeito Maguito Vilela, de Goiânia, e do vereador Jeová Alencar, de Teresina; ambos estão internados

  • Por Jovem Pan
  • 02/01/2021 06h55
Reprodução/Rádio Jovem Pan

O dia 1º de janeiro de 2021 foi marcado pela posse de prefeitos e vereadores nos municípios brasileiros. No entanto, por conta da pandemia de Covid-19, as cerimônias Brasil afora foram realizadas de maneira bem diferente: sem público e até mesmo sem os próprios eleitos. Em alguns casos, posses inusitadas com os representantes do povo recebendo seus cargos internados em hospitais. O presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador Jeová Alencar (MDB), tomou posse em uma sessão virtual. Ele está internado, com Covid-19, em um hospital particular da capital piauiense, sem previsão de alta.

O fato é que Jeová testou positivo para a doença pela segunda vez. Em julho ele já havia testado positivo para coronavírus, mas não apresentou sintomas. Em Goiânia, o prefeito Maguito Vilela (MDB) foi empossado virtualmente também em um hospital. Ele está internado há mais de dois meses tratando complicações da Covid-19. Por meio de assinatura eletrônica, o documento de posse foi enviado antes do início da solenidade, como explicou o presidente da sessão, vereador Isaías Ribeiro. “Foi protocolado, junto à Câmara Municipal de Goiânia, pelo prefeito eleito, uma petição comprovando seu estado de saúde que o impossibilita de participar presentemente dessa sessão solene. E, por isso, foi também solicitada a sua participação de forma remota para sua posse.”

Porém, o caso mais inusitado de todos é o do vereador Fábio Júnior Alves de Andrade (PP) da cidade de Marizópolis, no sertão da Paraíba. Ele foi empossado por videoconferência direto do presídio onde cumpre prisão temporária por ser suspeito de estar envolvido em um assalto. As investigações apontam que Fábio seria o líder de uma quadrilha na região e que o vereador teria passagem pela polícia por tráfico de drogas e roubos. A defesa dele diz que não há evidências de seu envolvimento no crime.

*Com informações do repórter Fernando Martins