Defensoria pede que STF se manifeste sobre operações policiais no Rio de Janeiro

A ação tem suporte do Partido Socialista Brasileiro e de outras 15 entidades, que questionam as constantes operações nas favelas e comunidades cariocas

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2021 10h54 - Atualizado em 15/02/2021 12h24
Fernando Frazão/Agência BrasilA polícia fluminense diz que as ações são previamente analisadas, cercadas de inteligências e só realizadas quando se mostram efetivamente necessárias

A Defensoria Pública do Rio de janeiro entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando as constantes operações da polícia fluminense em morros e favelas do estado, que resultam na morte de bandidos, mas também de muitos inocentes. A ação tem suporte do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e de outras 15 entidades. O processo fala em massacre recorrente e permanente da polícia nas comunidades e favelas. No ano passado, o ministro Luiz Edson Fachin criou parâmetros para a ação das polícias do Rio de Janeiro em favelas e comunidades e determinou que as operações só poderiam acontecer se mostrassem ser, efetivamente, necessárias. Depois, essa decisão foi referendada pela Corte Suprema, mas o que tem se visto no Rio de Janeiro são operações regulares nos morros, que resultam em apreensões, prisões, pessoas feridas e mortes, sejam bandidos ou inocentes. A polícia fluminense diz que as ações são previamente analisadas, cercadas de inteligências e só realizadas quando se mostram efetivamente necessárias para reduzir o alto nível de violência no estado.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga