DEM não descarta convite a Alckmin após ida de Rodrigo Garcia para o PSDB

Vice-governador de São Paulo vai deixar a sigla e se filiar ao partido tucano em uma cerimônia marcada para essa sexta-feira, 14

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2021 06h32 - Atualizado em 14/05/2021 10h55
Luciano Claudino/Estadão Conteúdomigração, articulada pelo governador João Doria, deixa mais distante a possibilidade de Alckmin voltar a disputar o Palácio pelo PSDB

A saída do vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, do Democratas pegou o partido de surpresa. Garcia vai deixar a sigla e se filiar ao PSDB em uma cerimônia marcada para essa sexta-feira, dia 14. A mudança reforça as articulações para que o político entre na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes em 2022 caso João Doria desista da reeleição para disputar a Presidência da República. O líder do DEM na Câmara, Efraim Filho, considerou equivocada a decisão de Rodrigo Garcia e não descartou um convite ao ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin.

“Com a chegada de Rodrigo ao PSDB como possível candidato a vereador em eventual sucessão do Doria, o primeiro nome que passa é o do ex-governador Geraldo Alckmin. O Democratas pode dar aquilo que vai faltar ao Rodrigo Garcia, poder escolher seu caminho e bater na mesa sem ficar dependendo da vontade alheia.” A migração, articulada pelo governador João Doria, deixa mais distante a possibilidade de Alckmin voltar a disputar o Palácio dos Bandeirantes pelos tucanos. O PSDB espera que a migração de Garcia leve também prefeitos e lideranças do DEM para a sigla. Em 2020, o DEM foi o segundo partido que mais elegeu prefeituras no Estado — 68 municípios.

Só ficou atrás do PSDB, que elegeu 172 prefeitos. O secretário de Estado de Desenvolvimento Regional e presidente do Diretório Estadual do PSDB de São Paulo, Marco Vinholi, celebrou a mudança. “O partido está muito feliz com essa vinda e que, todos em conjunto, vão encontrar caminhos pela valorização dos nossos quadros. E o Rodrigo vai ter papel fundamental dentro disso. Uma construção do futuro do partido ao longo desse processo. Portanto, essa união é pela construção partidária.” Questionado sobre a situação do ex-governador Geraldo Alckmin, Vinholi reiterou que ele tem uma importância fundamental para o PSDB e será sempre valorizado no partido.

*Com informações da repórter Caterina Achutti